Tag Archive: vida

24
mar

Cuidado: Tinta Fresca

Gelson de Almeida Jr.

“no dia em que dela comer, certamente você morrerá” Gênesis 2:17 NVI


Dias atrás a escola onde trabalho foi pintada, quando vistoriava o serviço uma funcionária veio até mim, preocupado em que ela não se sujasse com a tinta fresca, apontei para uma porta e disse-lhe:

– Cuidado para não se sujar, a tinta está fresca.

Menos de cinco segundos depois ela já estava com o dedo sujo de tinta. Tristeza, espanto e arrependimento estampavam seu rosto quando, muito sem graça, se virou para voltar à sua sala. Fizera o que todos fazem ao verem um aviso de “tinta fresca”, passou o dedo para conferir.

O Eterno dera vários avisos sobre a “tinta fresca”, mas o casal, que tinha à sua disposição 99,99% do jardim, resolveu tocar no 0,01% que lhe era vedado. Não fizeram isso porque queriam pegar o que não lhes pertencia, mas porque queriam o algo mais que a serpente prometera, não sabiam bem o que era, nem entendiam direito o que conseguiriam caso tivessem, mas queriam. E o resultado não poderia ser pior.

Duas promessas haviam sido feitas caso tocassem no fruto, o Eterno lhes prometera a morte, a serpente lhes prometeu um conhecimento superior. Desacreditaram no Criador e acreditaram na “criatura”. Ao assim proceder causaram um dano irreparável em sua relação com o Eterno e gravaram em seu DNA a marca da desobediência, da rebelião. É bem verdade que não morreram instantaneamente, mas, assim que pecaram, começaram a morrer.

Assim como o galho seccionado da árvore não morre de imediato, mas tem sua sentença de morte decretada, o ser humano que decide agir de modo contrário e independente do Eterno tem sua sentença de morte decretada, pois o salário do pecado é a morte (Romanos 6:23). Se você, ao contrário da morte, deseja a vida, e a vida abundante e plena, só tem um caminho a seguir, ser um ramo da videira celeste e nela permanecer unido (João 15:5). Criador ou criatura, a quem você dará ouvidos?

04
mar

Quo Vadis?

Gelson de Almeida Jr.

caminhosPara onde vais? Ao longo do Seu ministério Cristo foi questionado várias vezes, inclusive pelos doze, mas, pouco antes de ser crucificado, quando falava da vinda do Consolador e de Seu retorno aos Céus, queixou-se dos discípulos por não lhe haverem feito essa pergunta (João 16:5).

Hoje, enquanto dirigia e refletia sobre o episódio, entendi um pouco mais sobre as razões de Cristo ter sido tão íntegro e firme ao longo de Sua vida entre nós. Ele fez o que fez, porque sabia de onde viera e o que deveria fazer aqui, pois conhecia muito bem seu destino final. Isto deu sentido à Sua Missão e Ele permaneceu firme em todas as ocasiões em que foi confrontado pelo mal.

Diferente dEle, vivemos como se o amanhã não existisse, erramos por não focar nossa vida no destino final. Por desconhecer para onde vamos, embarcamos em viagens agradáveis, mas cujo destino final é catastrófico (Provérbios 14:12). A vida oferece caminhos que não levam a lugar algum, curvas e atalhos que nos conduzem a precipícios, túneis que são escuros e sombrios do começo ao fim.

Lewis Carrol afirma que para quem não sabe para onde vai qualquer caminho serve. Para onde vais? A pergunta que os discípulos não fizeram ao Mestre eu faço a você agora. Se você deseja ir ao encontro da Verdade, da Vida e da felicidade, só existe um Caminho a seguir, Cristo. Escolha-O e o destino final de sua existência estará seguro, deixe-O de lado e as consequências serão terríveis e poderão ser eternas também.

26
dez

Um dia de vida todos os dias

admin

Tonasso 2“O que você faria se hoje fosse seu último dia de vida” é a pergunta que muitos de nós já ouvimos alguma vez. É uma pergunta interessante, pois ela tem o poder de organizar em nossa mente os pensamentos em ordem de prioridade. Apesar de ser um questionamento popular, a Bíblia traz a uma dinâmica parecida e ainda apresenta qual deve ser a nossa atitude diante dela.

Para Deus, a palavra morte pode assumir uma conotação não tão pesada como é para nós hoje. Na verdade, o fim de uma vida pode significar o começo de outra. Não estamos falando de uma vida no céu ou de uma reencarnação onde, segundo a crença de muitos, só é alcançada ao completar nossa expectativa de vida, que está por volta dos 70 anos. Estamos falando de uma nova vida que pode ser iniciada hoje e de um passado que pode ser enterrado agora.

As misericórdias de Deus se renovam a cada manhã (Lamentações 3:22 e 23). Porque elas se renovam toda manhã? Porque cometemos erros todos os dias. A Bíblia chama esses erros de pecados. Pecado pode ser ofender alguém, deixar de fazer alguma coisa que deveria ter sido feita, mentir etc. Quem nunca peca todos os dias? Se não fosse por essa renovação diária, seríamos consumidos (idem).

Este é um dos motivos pelo qual temos, todos os dias, apenas um dia de vida. O salário do pecado é a morte (Romanos 6:23), perdemos a nossa vida a cada momento. Mas, a cada manhã, pela misericórdia de Deus, “ressuscitamos” para começar uma vida nova, uma nova chance, aproveitar novas oportunidades. Todos os dias, antes de dormir, devemos morrer com Cristo para amanhecer com Ele. Como morremos com Cristo? Pedindo perdão e perdoando as pessoas antes do fim do dia (Mateus 5:24) e pedindo perdão e sendo perdoado por Deus. Como ressuscitamos com Cristo? Tomando a nossa cruz a cada manhã e seguindo-O (Lucas 9:23).

Não espere 5 dias (ano novo) para começar a mudar. Mude agora. Erre agora. Se esforce agora e, antes de dormir, se arrependa e comece de novo se for preciso. Não temos anos, Deus nos dá apenas um dia de vida todos os dias.

basta a cada dia o seu próprio mal” (Mateus 6:34).
O pão nosso de cada dia nos dá hoje” (Mateus 6:11).

Leia Romanos 6.

21
set

# O joio e o trigo

joio-trigoNeste sábado, a partir de uma história bastante criativa que encontrei em uma meditação matinal, adaptei um texto para mostrar como os defeitos humanos motivam o desprezo a homens que poderiam se tornar bons comunicadores da palavra do Eterno.

Com o propósito de apontar esse tipo de julgamento, homens bíblicos como Noé, Moisés, Salomão, Pedro, Paulo e Jesus se tornaram personagens fictícios, entrevistados por um dirigente de igreja que tinha uma vaga de pastor a ser preenchida. No final não aprovou a nenhum deles, dando preferência a apenas um, chamado Judas, que lhe pareceu o mais apto aos requisitos do cargo.

O fato é que a vida como a conhecemos é feita de homens inseguros, cheios de defeitos, com dificuldade para lidarem com suas próprias limitações. Em se tratando do exemplo de Jesus, está mais do que claro que se voltasse a este mundo como um desconhecido, e dissesse às igrejas as mesmas verdades que se sustentam há dois mil anos, seria prontamente repudiado.

Mesmo com todos os defeitos que tenha o homem, isso não faz com que seja desprezado pelo Eterno, porquanto a Sua obra se volte para a criatura, e o chamado vise à transformação dos conceitos que povoam a mente humana em relação ao mundo e ao próprio indivíduo. Assim proporcionará ao homem retornar ao convívio da intimidade divina, pois partindo dessa experiência real é que nos tornamos novas criaturas.

Tomando de empréstimo as palavras registradas em Mateus, o joio está sempre ao lado do trigo na seara, no entanto, não é difícil perceber que o joio tenha grande semelhança morfológica com o trigo, e voltando-nos à imensidão da seara, podemos notar que há ceifeiros que se revestem falsamente das verdades do Eterno, tornando-se quase inconfundíveis, não fossem os frutos que os assemelhem ao joio, diferenciando-os do trigo.

O problema significativo dentro da igreja, à semelhança do joio, é quando as distorções bíblicas são engendradas em proveito da denominação, dos pastores que a compõem, influenciando erroneamente às pessoas que se convencem de todo um contexto de sofismas. Se ainda há quem os siga, das duas, uma: ou são pessoas simples, enganadas em seu entendimento, ou estão a nutrir os mesmos interesses de seus líderes.

Nas comunidades dos primeiros séculos, ninguém explorava financeiramente aos desvalidos com promessas de bênçãos. Ninguém se prestava a “profetizar” se não estivesse cabalmente afinado aos mandamentos e repleto pelo Espírito do Eterno. Nenhum deles nunca nem mesmo ousou dizer o que o Eterno deveria fazer em troca de uma oferta.

A consciência de que vivemos e nos fortalecemos apenas quando em comunhão com o Espírito que é santo, é o que sempre moveu a todos que serviram à obra com retidão e caráter. A transformação é isso: deixar os rudimentos, a sabedoria, os conceitos e valores do mundo, para viver ao que para ele é a própria loucura. Esse é o testemunho dos que andam no caminho do Eterno.

Que o homem possa reconhecer a voz do Pastor.

Ṣadi – Um Peregrino da Palavra

20
set

# Atestando a capacidade

jesus_pregandoA semente deste sábado é lançada para meditarmos sobre a quem damos ouvido quando nos fala da palavra do Eterno. Antes, preciso dizer que o texto que escrevi é uma readaptação de uma obra ficcional traduzida e adaptada por Amin Rodor, encontrada na “Meditação diária – 2014 – Ligado na videira”, publicada em 18/09/14.

Em certa ocasião, alguns candidatos bateram à porta de uma igreja para se submeterem a entrevistas para a vaga de pastor. Pois bem, ao final das entrevistas o perfil dos candidatos assustou ao apresentador, e sentindo-se preocupado que outras igrejas pudessem ser vítimas de alguma manobra por parte daqueles homens, desclassificados, em sua opinião, resolveu lhes enviar um relatório dos candidatos, que dizia:

Estes são os candidatos que chegaram a mim para entrevista-los pela vaga de pastor aberta em nossa igreja. Advirto-os quanto aos seus perfis, e caso cheguem por aí, decidam por si mesmos:

Primeiro veio um senhor de nome Noé, que por suas próprias palavras, não fossem pelos poucos membros de sua família, nunca converteu alguém em mais de cem anos de ministério. Mostra-se, portanto, inapto para a função. O seguinte, que atende por Moisés, é tão gago que o dificulta com os sermões. Penso que seria motivo de risos, quando não de membros impacientes. Além disso, é um tanto irritadiço. Imagino que seja pela gagueira.

Depois deles surgiu um de nome Salomão, que chegou acompanhado de uma comitiva que foi logo atestando suas qualidades, entre elas, a sabedoria, no entanto, percebi que parece ser do tipo faça o que eu digo, não faça o que eu faço. Em seguida a ele, eis que surgiu, depois de muita insistência, pois queria desistir, um tal senhor Jonas. Quem desistiu dele fui eu. Em seguida, um tal Elias, que me pareceu estar bastante deprimido. Entendi que nenhum dos dois serviria como um bom testemunho para as campanhas da igreja.

Teve também um chamado Oseias. Um chefe de família com sérios problemas em casa. Ou seja, não precisamos de gente desse tipo por aqui. Entre esses, surgiu o Jeremias, alguém que não parou de se lamentar. Tinha lá suas razões, mas me recusei a ouvi-lo. Enfim, destes mais velhos não suportei a nenhum deles, afinal preciso de gente jovem e positiva.

Entre os mais novos, tivemos um que mais parece um hippie, o que não seria bom para imagem da igreja. Atende pelo nome de João Batista. Contemporâneo dele, veio o Pedro, um homem que imagino vocês conheçam; é conhecido por abandonar o barco em meio a situações de perigo. Veio acompanhado de um amigo chamado Paulo, alguém que percebi, gosta de escrever muito, se dizendo um impecável intérprete do Messias.

Não recomendo nenhum deles. Por fim, todos acompanhavam um tal Jesus. Esse é talvez o pior de todos, pois gosta de colocar os outros em uma tremenda saia justa, pois está sempre a questionar as boas intenções dos membros da igreja, falando em meias palavras, como se testasse a inteligência alheia. A este, definitivamente, não nos serve nem para ser o porteiro.

De todos eles, há um apenas que recomendo, pois ainda não pude ficar com ele, pois disse-me que fará uma pesquisa para saber que denominação possa lhe pagar mais por seus serviços. Atende pelo nome de Judas. Tem ótimo trato com as finanças e pensa nos pobres. Ao menos foi o que me disse.

É isso, enfim. Vocês foram avisados, afinal, precisamos conhecer bem aos que fazem parte de nosso círculo, inclusive para que possamos ouvi-los quando falem do Eterno. Não se deve ouvir qualquer um.

Feliz sábado

Ṣadi – Um Peregrino da Palavra

31
jan

O objetivo não é o Céu

admin

Em quase todas as religiões, denominações e filosofias (sejam elas cristãs ou não) existe o pensamento comum de que temos um objetivo a atingir. Seja um Céu, um estado elevado de espírito ou uma boa reencarnação. E, para isso, se ensina que temos que nos esforçar para ser bom, ajudar o próximo, tomar cuidado com o que fala, etc.  Mas o que Jesus realmente ensinou sobre nossa caminhada aqui na Terra? Todas as Palavras e mandamentos que Ele nos deixou só servem para nos ajudar a receber algum tipo de recompensa?

A Bíblia fala de um porvir melhor. O próprio Jesus disse uma vez: “Na casa de meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar” [João 14:2]. Em Apocalipse 21:10-27 encontramos o relato de como é a Nova Jerusalém e vemos o quão incrível ela é. Ellen White, escritora norte americana do século XIX que recebia mensagens de Deus, teve o privilégio de conhecer este Céu e, quando ela voltou de sua visão, ela escreveu: “Oh! quão escuro pareceu-me este mundo! Chorei quando me encontrei aqui, e senti saudades. Eu tinha visto um mundo melhor, e o atual perdeu o seu valor.” [Visões do Céu, pág. 7, Casa Publicadora Brasileira]. Não há dúvida de que o que nos aguarda é algo realmente grandioso e maravilho.

Mas Jesus, ao vir a este planeta, nos ensinou algo mais profundo do que um mero conquistar o Céu. Temos que ter a esperança de herdar o Céu, mas não podemos focar somente nele e menosprezar o nosso tempo presente nesta Terra como se fosse de pouco ou nenhum valor. O objetivo do cristão deve ser o próprio Cristo e Este já está ao lado dos Seus seguidores [Mateus 28:20]. Aquele que segue a Jesus obedece Suas palavras não para merecer algo melhor, mar porque O ama [João 14:15]. Aquele que segue a Jesus ajuda o próximo não para receber algo em troca, mas porque o Seu mestre disse que este era o grande mandamento [Mateus 22:39]. O Céu, na verdade, começa no momento em que aceitamos a Cristo em nossas vidas e, como resposta ao amor dEle por nós, passamos a seguir seus mandamentos. Claro que este momento que estamos passando ainda não é o ideal, mas chegará o dia em que, finalmente, veremos o nosso Mestre face a face em um lugar onde não existirá mais dor e nem choro [Apocalipse 21:4]. Enquanto este dia não chega, vamos viver o Céu (que é o próprio Jesus) aqui na Terra e mostrá-Lo às pessoas a nossa volta.

Que Deus nos ajude a ter esta consciência mais profunda sobre os mandamentos de Cristo e que possamos segui-los não para receber uma recompensa, mas como uma resposta ao amor dEle por nós.

 

27
dez

Está tudo muito calmo… calmo demais

admin

Minha vida sempre foi muito boa. Claro que tenho problemas (em algumas áreas até mais que o normal), mas, no geral, tenho uma vida bem tranquila. Tenho consciência das dificuldades que o mundo passa como guerras, fome e a iminente falta de água, mas sinto que isso tudo está tão distante de mim que nem me preocupo mais. Sou sempre tentado a acreditar que o nosso mundo ainda durará muito tempo, mesmo conhecendo o que a Bíblia diz sobre o breve retorno de Cristo.

Esses dias me lembrei de uma menina neozelandesa chamada Abby Wutzler. Para quem não sabe, foi  ela quem salvou muitas pessoas do Tsunami em 2009. Ela havia aprendido na escola a como identificar este fenômeno. O principal sinal eram as águas da praia recuando rapidamente e se afastando da costa. Isso acontece quando se forma uma grande onda. Então fiz uma breve analogia comigo mesmo: será que não estou exatamente no momento em que as águas se recolhem para formar um Tsunami? Será que esta aparente calmaria não está indicando a vinda de algo muito grande?

Fui à Bíblia e encontrei algumas palavras de Jesus que muito me preocuparam. Ele disse:

Como foi nos dias de Noé, assim também será na vinda do Filho do homem. Pois nos dias anteriores ao Dilúvio, o povo vivia comendo e bebendo, casando-se e dando-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca;… Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor.” [Mateus 24:37, 38 e 42]

A calmaria de nossas vidas e a aparente eterna rotina é o sinal de que Cristo está para voltar. Minha “boa” vida está simplesmente cumprindo a profecia de Jesus. O retorno de Cristo está próximo. Por quê? Porque está tudo muito calmo… calmo demais.

24
maio

Altruísmo

admin

As vezes penso demais, mas acho que nesta semana exagerei.

Certo dia ouvi minha mãe dizer que, se fosse preciso, morreria em meu lugar. Disse que preferiria perder a vida a viver sem mim. Isso não foi nenhuma novidade. Sei que ela estaria disposta a sofrer tudo o que fosse preciso em meu lugar e sei que eu faria o mesmo. Para mim, pior do que sofrer é vê-la sofrer.

Aí que tá. Se sofrer por quem ama é melhor do que ver a pessoa amada sofrer, o altruísmo verdeiro não estaria em deixar aquele que gosta de você sofrer em seu lugar? Se a dor maior está em ver quem gostamos padecer, deixar a pessoa apegada a nós padecer em nosso lugar não seria melhor para ela? O altruísmo real não estaria em suportar a dor de ver quem você aprecia amargando em seu lugar? (eu disse que havia pensado demais nesta semana)

Ao pensar nessas coisas lembrei de Jesus, que morreu em nosso lugar. Teoricamente, esta minha ideia vai contra o plano da redenção. Mas, ao pesquisar o assunto na Bíblia, encontrei um texto:

“Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” [João 3:16]

O Pai também sofreu com Cristo na cruz. Como ambos são Um (João 10:30), podemos concluir que Deus, além de ter morrido e sofrido por nós, também suportou toda uma dor de pai vendo Seu Filho sofrer.  Chega a dar um certo “nó” em nossas cabeças, mas o amor de Deus é isso mesmo: incalculável, impensável, incompreensível, fora da nossa capacidade de entendimento e outros tantos adjetivos a mais.

A cada dia percebo que o amor de Deus é muito mais profundo do que imagino. Já que não é possível compreendê-lo, queria convidá-lo a aceitá-lo junto comigo, pois é a única coisa que podemos fazer.

Que este carinho incondicional possa transbordar nossas vidas a ponto de ser derramado em outras.

17
mar

# Morte e Vida

Percebo que se tornou um hábito escrever esta semente do domingo depois de ouvir as palestras do programa Viva que acontecem no sábado à tarde. Não que faltem testemunhos do dia a dia, razão da existência das sementes semanais, para traçar um paralelo com a palavra de Deus. Mas, depois que me mudei para outro Estado, não podendo estar presente às programações, tenho me voltado mais ao site Nova Semente, pois assim continuo no caminho em que Deus me colocou a ouvir verdades que têm transformado minha vida. Ainda que pelo tanto que tenho sido transformado desde que ingressei em fevereiro de 2006, creio que a distância tem exercido sobre mim um poder ainda maior, provando ser a experiência real com Deus, testemunhada e ensinada ali, a responsável pelas transformações que tenho passado, à medida que me permito tamanha felicidade.

É de fato uma experiência real com Deus que acontece naquela comunidade. Como os homens que andaram com Cristo, assim como os que fazem parte da Nova Semente, tenho cada vez mais tido a consciência de quanto preciso continuar a andar com Deus, deixando-o na condução da minha vida, não podendo prescindir de forma alguma da Sua presença, e nem da Sua dependência que aprendi, me faz andar seguro por onde for, pois ouço a Sua voz, em especial pela Palavra que leio nas escrituras, vivenciando-as na prática.

Certa ocasião Jesus percebeu a atitude de alguns discípulos que antes andavam com Ele, começarem a se distanciar por não confiarem naquilo que Ele dizia. Foi que Ele então perguntou aos seus discípulos mais próximos se também eles desejavam ir. Respondeu Simão Pedro: Para onde iremos, se só tu tens a palavra da vida eterna. (João 6). Sinto-me como esse apóstolo. Para onde irei, e onde posso me apoiar e confiar, ainda que o mundo se prostre aos meus pés, se apenas em Cristo sinto meu coração, minha mente e meu espírito seguros e felizes de fato? E ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, eu nada temerei, pois Tu estás comigo. (Salmo 23). Ao crermos nessa proteção, vivemos momentos que os olhos carnais não presenciam naturalmente.

Digo isso não porque minha vida já esteja plena das realizações que tenho sonhado junto ao sonho de Deus, mas por que ao andar com Ele, dependendo das palavras vivas que contêm a Sua pregação no evangelho de Cristo, percebo estar a caminho de uma forma que o mundo não pode entender. Percebo a existência do tempo de Deus pelo que Ele me conhece, e sabe quando estarei preparado para receber e assim conservar o seu melhor na minha vida. Percebo os sinais pelos quais Ele me direciona rumo aos seus sonhos. Percebo que erro menos e, quanto me sinto mais feliz por tudo que vivencio na sua Palavra quando a coloco em prática. Percebo que quanto mais escuto as pregações de meu pastor, mais aumenta a minha fé, mais compreendo minhas reais necessidades, e por fim, testemunho a mim mesmo todos os dias, o quanto a alegria de viver assim tem aumentado à medida em que permito a transformação dos sonhos de Deus em minha vida. (Jeremias 29:11-13)

Volto a reportar sobre a palestra de ontem no programa Viva, a que sugiro assistam clicando neste link, pois por ele testemunho o quanto o processo de conversão e bênçãos é um caminho interminável, pois senti um impacto tão grande, tão forte que não apenas a alegria de novos esclarecimentos tomou conta de mim, mas vivenciei a revelação de um medo que ainda estava oculto sem que eu conseguisse o confessar, fazendo de aspectos da minha vida paralisados, e o senti extirpado quando as lágrimas que correram em meu rosto, no momento da prece final, disseram ao meu coração que não devo temer, nem permitir que o passado se oculte em mim, mas viver a mesma certeza que viveu o paralítico a quem Jesus perdoou os pecados e, ao ouvir a voz do Mestre e crer que Ele tinha poder de vida eterna, levantou tomou sua maca e andou pela vida conforme os sonhos de Deus para ele.

Que a vida de todos vocês que me leem seja abençoada pela dependência de Deus.

Shalom Aleichem  

Ṣadi – Um Peregrino da Palavra

1 2 3