Tag Archive: entrega

19
jul

Não Esconda Deus

Gelson de Almeida Jr.

Certo comerciante, à medida em que enriquecia foi abandonando sua fé. Um amigo seu, preocupado com seu distanciamento do Eterno, fez- lhe uma visita. Colocando uma folha sobre o balcão perguntou-lhe se conseguia ler o que estava escrito nela. O homem disse que conseguia ler claramente e que estava escrito “DEUS”. Colocando uma moeda sobre a palavra pediu-lhe que lesse novamente, o homem disse que não conseguia, pois a moeda escondia “DEUS”. Bem sério, mas com muito amor, o amigo disse-lhe que assim como a moeda escondera a palavra Deus o dinheiro havia escondido Deus de sua vida e convidou-o a voltar aos caminhos do Pai.

Não foi sem razão que o Eterno colocou, como primeiro mandamento do Decálogo, a proibição de colocarmos qualquer coisa entre Ele e nós. Nossas transgressões fazem separação entre nós e o Eterno (Isaías 59:2).  Não existe transgressão (pecado) que não oblitere nossa visão do Eterno e de tudo o que faz por nós. Por mais que achemos que algumas coisas que o Eterno pediu que não fizéssemos são inofensivas, toda transgressão nos afasta do Eterno e de Suas promessas.

Não tenho a menor ideia de como anda sua relação com o Eterno, mas, pecador como todos somos, com certeza você tem alguma coisa que esteja atrapalhando sua relação com Ele. Em seu caso, o que está colocado entre você e o Eterno, o que está cobrindo “DEUS”? Há alguma coisa que tem feito você se distanciar dEle e se desviar de Seus caminhos? Tem você andado em seus próprios caminhos que, por mais que pareçam perfeitos, são caminhos de morte (Provérbios 14:12)?

Acredite, não existe nada que seja bom o suficiente para ficar entre nós e o Pai. Qualquer coisa que se interponha entre o Eterno e nós será danosa e nos trará prejuízo eterno.

21
abr

Faça-se a Tua Vontade

Gelson de Almeida Jr.

Anteontem escrevi nesse Blog sobre aqueles que fazem suas petições ao Pai sem saberem ao certo o que desejam. Ainda nessa linha quero falar sobre aqueles que sabem o que querem, mas querem as coisas do seu jeito.

Um monge, necessitando de óleo, plantou uma muda de oliveira. Pediu ao Pai chuvas brandas para que as tenras raízes da planta fossem regadas, a chuva veio. Depois orou pedindo sol, o sol brilhou em meio às escuras nuvens. A seguir pediu neve, pois a planta precisava se fortalecer, veio a neve, mas à noite a planta estava morta.

Desconsolado, foi ao quarto de outro monge e relatou sua triste experiência ao irmão de fé. O outro disse que também plantara uma pequena árvore, mas que ela estava muito viçosa e ele quis saber o segredo, “Orei ao Pai, mas, ao invés de ficar pedindo isto ou aquilo, disse-Lhe que confiava plenamente nEle e que queria que Ele cuidasse da planta do modo que achasse melhor”.

Muitos elevam sua prece ao Eterno, mas fazem como o primeiro monge, ao invés de pedir que o Pai faça a Sua vontade pedem o que acham ser o melhor. O Pr. Kleber Gonçalves tem uma frase que acho muito apropriada neste instante: “Cuidado com o que você pede a Deus, vai que Ele concede e você não vai gostar do resultado”. Muitas vezes o Eterno tenta cumprir Sua vontade em nossa vida, mas, insistimos tanto em que as coisas sejam feitas do nosso modo, que Ele nos atende o pedido, apenas para vermos, lá adiante, o erro que foi não deixar que agisse à Sua maneira.

É importante saber o que realmente queremos do Pai, mas, muito mais importante ainda, é deixarmos que a Sua vontade seja feita. Ore, peça, mas deixe-O agir livremente.

10
fev

O Pouco com Deus…

Gelson de Almeida Jr.

“O pouco com Deus é muito e o muito sem Deus é nada”.

A história intitulada “Uma moeda de pouco valor”, fala de um garoto que, após ouvir poderosa mensagem sobre a pregação do evangelho em terras distantes, foi até a casa do pastor e entregou à esposa deste uma moeda de pouco valor. A mulher preparava um embrulho com roupas, remédios e alimentos para enviar ao campo missionário. Não tendo muito o que fazer com a moeda, comprou uma pequena literatura evangélica e colocou dentro do pacote.

O pequeno folheto caiu nas mãos de um poderoso chefe tribal da Birmânia que o leu e decidiu aceitar Cristo como Seu Salvador Pessoal. Tempos depois seus amigos notaram a profunda transformação que ocorrera nele, o testemunho apresentado por aquele homem fez com que muitos decidissem mudar o rumo de sua vida. Organizaram uma igreja e, posteriormente, solicitaram o envio de um missionário. O resultado do trabalho foi que, por meios diretos ou indiretos, a mensagem do evangelho atingiu quinze mil pessoas.

Nem em seus sonhos mais irreais aquele garoto imaginaria algo assim, mas é isto que acontece quando colocamos o nosso melhor a serviço do Rei. Quando convidou Moisés para guiar o povo do Egito para a Terra Prometida o Eterno perguntou-lhe o que tinha em suas mãos, ele mostrou uma vara. Para qualquer um de nós aquilo seria completamente insignificante, mas, dedicada a Deus, foi instrumento de milagres como abrir caminho em meio ao Mar Vermelho e tirar água da rocha.

O Eterno convida cada filho Seu para trabalhar em benefício do seu próximo, você não precisa de muita coisa para participar de trabalho tão nobre. O que você tem em sua mão? Dedique a Deus, com inteireza de coração e propósito e prepare-se, milagres já estão a caminho.

25
nov

Adoração

Gelson de Almeida Jr.

“A devoção não está no joelho que se dobra, mas no coração que não se vê dobrar”. H. Balzac


dar-coracaoMesmo uma reflexão superficial da frase acima mostra que ela apresenta uma profunda verdade e uma realidade cada vez mais palpável de nossa sociedade. Em um país cuja maioria esmagadora da população se declara cristã, 86,8 %, segundo o Censo feito pelo IBGE em 2010, fica difícil imaginar que essas pessoas não sejam adoradores do Altíssimo.

A verdade, porém, é que a maioria esmagadora daqueles que se declaram cristãos é a de que não são assíduos e fieis a nenhum segmento religioso. São indivíduos que possuem pouco ou nenhum envolvimento com o corpo de doutrina de sua igreja e com os trabalhos e serviços por ela realizados.

Falando aos escribas e fariseus Cristo, citando o profeta Isaías, Cristo disse que essas eram as pessoas que se aproximavam dEle com a boca, O honravam com os lábios, mas tinham o coração longe dEle (Mateus 5:18). Que triste situação a desses indivíduos! Enquanto o exterior dizia que eram seguidores do Eterno, o interior mostrava a realidade, a de que não eram verdadeiramente seus seguidores.

Mas, como saber se fazemos parte desse grupo? Existem alguns indícios, muito básicos, que podem servir de auxílio no autoexame. Perguntas simples, mas que podem ajudar a mostrar o tipo de adoração que praticamos.

– Com qual frequência você frequenta os cultos e como é seu comportamento/envolvimento com o que acontece lá?

– Como fica seu coração e qual é sua atitude quando se recolhem os dízimos e ofertas ou quando é feita uma campanha para se angariar fundos para algum projeto?

– Qual é o seu estado de espírito quando é convidado a dispor de seu tempo e recursos para ajudar os mais necessitados?

– Quais palavras melhor descrevem sua atitude religiosa, serviço, altruísmo, abnegação, desprendimento, desinteresse, desapego, egoísmo, egocentrismo ou misantropia?

Muito mais ainda poderia ser dito, mas isto já serve para iniciar uma reflexão sobre o tipo de adoração que praticamos. O Pai não pede muito, pede apenas o nosso coração (Provérbios 23:26). Não se preocupe em ter uma “religião de joelhos dobrados”, trabalhe para praticar uma religião de coração rendido ao Eterno.

02
nov

O Segredo

Gelson de Almeida Jr.

maos-postas-em-oracaoCerta feita fui questionado por membros de uma igreja da Grande São Paulo ao dizer que poderíamos ter nossas orações atendidas, assim como os apóstolos haviam sido atendidos. Lembro-me que entre os que me questionaram estava um homem que disse que muitas de suas orações não tinham sido atendidas pelo Pai. Perguntei-lhes se acreditavam na Bíblia e todos disseram que sim. Em seguida pedi que lessem João 14:13-14, onde Cristo deixa bem claro que recebermos “tudo” quanto pedirmos em Seu nome. O questionamento foi mais forte ainda, um senhor disse que fazia todas as suas orações em nome de Jesus, mas que várias delas não eram atendidas.

Mostrei-lhes que não bastava orar e pedir em nome de Jesus, mas que existiam algumas regras básicas para que assim pudéssemos proceder. Nos versos anteriores e posteriores a esta promessa de Cristo Ele coloca algumas condições, crer nEle (v.12), guardar Seus mandamentos (v.15) e conhecer e ter o Espírito de Deus dentro de si (v.17). Davi, que teve muitas orações atendidas e outras não atendidas, a quem o Eterno chamou de “homem segundo o meu coração” (Atos 13:22) afirma que os que se deleitam no Senhor, entregam o seu caminho a Ele e nEle confiam, tem os desejos de seu coração atendidos (Salmo 37:4 a 6).

Quando o Eterno for o centro de nossa vida, o Senhor de nossas ações, quando, assim como Cristo, nossa comida consista em fazer a vontade do Pai, nossos pedidos serão por Ele atendidos. Caso contrário, até poderemos pedir “em nome de Jesus”, mas estaremos correndo um sério risco de citar o Seu nome, mas de fazer os pedidos em nosso nome e, nem sempre o que “eu quero” é o melhor que o Pai pode me conceder. “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle, e Ele tudo fará” (Salmo 37:4).

24
ago

Deixe-O tocar

Gelson de Almeida Jr.

órgão catedral de FriburgoEm visita à Catedral de Friburgo, o célebre compositor Mendelssohn, ao final do serviço religioso, dirigiu-se ao organista da igreja e pediu licença para tocar um pouco tão afamado órgão. Muito zeloso e receoso o homem relutou, mas, diante da insistência do estranho, decidiu deixar-lhe tocar um pouco.

Momentos após Mendelssohn começar a tocar o idoso homem, num misto de êxtase e curiosidade, colocando as mãos em seu ombro perguntou-lhe qual era o seu nome. Assim que ouviu quem era, com lágrimas nos olhos, o idoso homem disse: “E pensar que eu quase impedi Mendelssohn de tocar nesse órgão”!

Como o velho organista gostamos de tocar sozinhos o “órgão” da nossa vida, fazemos da melhor maneira que conseguimos, alguns se acham muito bons, outros, nem tanto, mas, a grande verdade, é que, nesse tipo de questão, quase todos se acham muito bons, por que não dizer virtuoses.

A grande verdade, porém, é que nesse quesito apenas o Maestro do Universo, o Criador de todos os “órgãos”, o Compositor de todas as belas canções é que sabe quando e como tocar. A menos que deixemos que Ele domine nossa vida, dirija nossos passos, conduza-nos pelo caminho seguro e eficaz, a música da nossa vida será um verdadeiro desastre, um fiasco total.

Acerca disto, muito apropriadamente Davi nos aconselha: “Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará” (Salmos 37:5), afirma ainda que, se assim procedermos, nosso direito prevalecerá como sol do meio dia (v.6). Não importa o que você faça com a sua vida, não importa quão bem a governe, o Eterno fará muito melhor, apenas Ele pode juntar todas as notas de sua vida e torná-la a melhor de todas as músicas.

17
jun

E a minha vida

Gelson de Almeida Jr.

PeterTorjesenPeter Torjensen, um jovem norueguês, aos 18 anos ouviu um apelo para contribuir com a obra missionária. Resolveu entregar como oferta todo o dinheiro que tinha dentro de sua carteira, mas, enquanto fazia isto, sentiu-se impelido a fazer mais, imediatamente pegou um pedaço de papel e escreveu: “E minha vida”, e colocou junto com o dinheiro. Oito anos mais tarde ele estava na China trabalhando como missionário.

Durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa ele e sua esposa Valborg, abriram as portas de sua casa e da igreja, em Shanxi, para 1000 refugiados. Seu trabalho entre os moradores da região foi tão profícuo que lhe deram um nome chinês, Ye Yongqing (Folha Sempre Verde). Em 14 de dezembro de 1939, aos 47 anos, faleceu vitimado por um ataque japonês durante a Segunda Guerra Mundial. Até hoje é reverenciado pela população da região.

Qual tem sido a sua oferta diária ao Doador de todas as coisas? “Dá-me, filho meu, o teu coração…” (Provérbios 23:26) é o pedido que o Eterno fez a Torjensen e continua a nos fazer diariamente. Aquele jovem de 18 anos entendeu muito bem o que o Eterno pedia e se entregou por inteiro.

O Eterno espera de cada um de nós uma entrega total e irrestrita, provavelmente nunca será pedido a você que O sirva em terras longínquas, mas, Ele espera de você e de mim, confiança e entrega como a de Torjensen. “E a minha vida”, esse é o complemento da entrega que o Eterno espera de cada um de seus filhos.

01
abr

Sob tua palavra

Gelson de Almeida Jr.

“(…) sob tua palavra lançarei as redes”. Lucas 5:5

 

lançando redeApós uma noite inteira pescando Pedro e seus sócios saíram do mar e foram lavar as redes. Eis que o Mestre se aproxima e pede a Pedro “coloque barco novamente na água”, Pedro obedeceu.  Maravilhado ouviu-O falar à multidão que se ajuntara na praia. Em seguida Ele manda que Pedro vá, mar adentro, e lance as redes para pescar. Pedro diz que fizera isso a noite toda, mas sob a palavra dEle o faria novamente. O resultado não poderia ser melhor, foram tantos peixes que teve que pedir ajuda para levá-los à praia.

Pedro tinha argumentos muito bons para não fazer o que o Mestre pedia, estava exausto e navegar novamente seria difícil, estava frustrado por não pegar um único peixe e o que mais queria era sair dali, o mar não lhe trazia boas recordações, além do mais, o barco já estava devidamente ancorado. Qualquer um desses argumentos seria altamente justificável, mas não se diz “não” a um pedido de Cristo. Sorte a dele ter obedecido, deu carona para o Mestre, ouviu bem de perto um sermão Seu e não só presenciou, mas participou de um milagre Seu.

Uma noite inteira de tentativas infrutíferas calaram Pedro, seu irmão e os seus sócios, conhecidos como “filhos do trovão”. Desanimados e desestimulados agora lavavam as redes. Como pescadores haviam atingido o ápice da frustração. O sentimento de incapacidade e inutilidade era visível. Mas, em seu momento de maior baixa o Mestre apareceu e mudou tudo.

Se você se sente como aqueles homens, sabe do seu potencial, mas passa por uma crise tão grande, que parece que, quanto mais tenta reverter o quadro, pior ficam as coisas, que olha para o túnel e não vê o seu final, não se desespere. Para aqueles homens Cristo foi a solução, para você não será diferente. Assim como apareceu-lhes no momento mais tenebroso e os ajudou fará o mesmo com você. Ele está ao seu lado, pronto a ajudar, sob Sua palavra milagres acontecerão, creia.

16
mar

Use toda a sua força

Gelson de Almeida Jr.

mao estendidaUm garoto tentava levantar uma sacola cujo peso era muito maior do que ele podia suportar. Ao seu lado, o pai, vendo que o filho não tinha forças para levantar sozinho todo aquele peso, estendendo a mão disse-lhe: “Use toda a sua força meu filho”. O garoto tentou, sem sucesso, mais algumas vezes e a cada tentativa frustrada o pai repetia o gesto e as palavras.

Desolado o garoto diz: “Não consigo pai”, o pai pede que o filho olhe para ele e, bem devagar, repete: Use… toda… a… sua… força… meu filho”, só nesse momento é que o filho vê a mão do pai estendida para lhe ajudar. Finalmente o pequeno entendeu que quando o pai lhe dizia para usar toda a sua força também se referia à sua. Ele o ajudaria a carregar a sacola.

Muitas vezes somos como o garoto, enfrentamos situações que estão além de nossas forças, vemos que não conseguimos carregar o fardo, mas insistimos em fazê-lo, buscamos o Pai e Ele nos diz para usar toda a força, ao invés de olhar para Ele, continuamos a olhar para baixo, até buscamos ajuda, mas com quem não pode nos ajudar de verdade. O resultado não pode ser outro senão derrotas e frustrações. Reclamamos do Pai, perdemos a esperança e desistimos, tudo porque não olhamos para Ele quando nos fala.

Todos os dias o Pai está ao nosso lado (Mateus 28:20) e nunca deixa de ajudar um filho que O busque (João 6:37), pois Ele é a nossa força, a nossa luz e a nossa salvação (Salmo 27:1,2). Quando o fardo for pesado demais para carregar use Sua força, deixe que Ele o ajude, troque de fardo com Ele, pois o Seu fardo é leve e suave (Mateus 11:28 – 30).

02
mar

Como aumentar seu valor?

Gelson de Almeida Jr.

Como dobrar o valorBarcelona, 9 de agosto de 1992, muitos ainda lembram muito bem desse dia. O Brasil acordou cedo, pela primeira vez na História um time masculino de vôlei do Brasil chegava a uma final olímpica com grandes chances de alcançar o ouro olímpico. A seleção, comandada por José Roberto Guimarães, sagrou-se campeã, sendo o último ponto conseguido com um potente saque de Marcelo Negrão. Ainda me recordo de toda a jogada e da explosão de alegria do time após o ponto.

Uma bola de oficial de vôlei custa aproximadamente R$ 220,00, mas quanto valeria aquela bola logo após o saque de Marcelo Negrão? Quanto vale uma raquete de tênis em minhas mãos?  Com certeza o preço da loja, talvez até menos, alegariam já ter sido usada por mim, mas quanto vale uma raquete que já passou nas mãos de Dijokovic, Federer ou Nadal? Com certeza o preço subiria vertiginosamente. O preço se altera, para cima ou para baixo, dependendo das mãos que o seguraram.

Uma vara nas mãos de Moisés, durante muito tempo, serviu para que ele cuidasse do rebanho de seu sogro, mas após seu encontro com o Eterno serviu para abrir o Mar Vermelho, tirar água da rocha e outros milagres. Os cinco pães e dois peixes nas mãos do menino eram alimento para uma pessoa, nas mãos do Mestre viraram alimento para cerca de vinte mil pessoas.

Com certeza você já teve a sensação de que lhe dão pouco valor. Falando friamente, se fossemos avaliados pelo valor intrínseco dos materiais que compõe nosso corpo, o valor não seria grande coisa, mas se estivermos nas mãos do Eterno nosso valor aumentará consideravelmente. O seu valor poderá chegar a níveis inimagináveis se estiver nas mãos do Eterno. Escolha as mãos certas para o amparar.

1 2