Tag Archive: cristianismo

15
fev

Cristianismo Alegre

Gelson de Almeida Jr.

“Servi ao Senhor com alegria… (Salmo 100:2a ACR)


Certo feita perguntaram ao compositor austríaco Franz J. Haydn a razão de suas composições sacras serem tão alegres. Sem pestanejar ele respondeu:

Não posso fazê-las de outro modo. Quando penso em Deus e em Sua graça manifestada em Jesus Cristo, meu coração fica tão cheio de alegria que as notas parecem saltar e dançar da pena com o que escrevo. Já que Deus me tem dado um coração alegre, deve-me ser permitido servi-Lo com alegria.

Contrastando a isso existe a célebre história do pai e filho que, após o culto dominical, onde o pastor falara da postura do cristão, voltavam para casa na charrete da família. No meio da viagem ocorre o seguinte diálogo:

– Papai, o Jack deve ser um bom cristão, você não acha?

– Por que diz isso filho? Pergunta o assombrado pai.

– Por que ele nunca sorri.

Jack era o animal que puxava a charrete.

É triste ver que, como o garoto, m
uitos acham que Cristianismo é sinônimo de ser carrancudo, pior ainda, acham que ser iracundos, não achar graça em nada e criticar tudo também é sinônimo de Cristianismo. Deus é amor (I João 4:8) e Cristo veio mostrar-nos o caráter do Pai, como seus imitadores devemos agir como ele agiu, de forma amorosa, compassiva, amigável, polida, atenciosa e respeitando as diferenças.

Servir ao Senhor com alegria é muito mais que andar sorrindo por aí, é fazer com que nossas atitudes coloquem um sorriso no rosto de cada um que entrar em contato conosco.

26
fev

Vamos orar pelos decapitadores

Marco Aurélio Brasil

Enquanto assistimos horrorizados a decapitação de 21 cristãos pelo Estado islâmico, a radicalidade do mandamento de Jesus se impõe.

Orar pelas famílias daqueles homens não é difícil. decapitação

Orar genericamente pelas paz mundial não é difícil.

Orar para que o radicalismo islâmico seja contido não é difícil.

Orar pelos decapitadores. Isso é difícil.

O que é mais radical? O Estado Islâmico ou Jesus Cristo? Jesus Cristo, mil vezes.

Ele diz: pegue o amor e dê a ele um sentido absurdamente completo.

Ele diz: pegue meu exemplo e o siga.

Respire fundo como eu faço agora e junte-se a mim na oração mais radicalmente difícil de fazer.

07
fev

Jesus e Sua caixa de lápis de cor

admin

Um dia resolvi ser cristão de fato. Decidi que faria tudo o que Jesus mandou fazer e falaria dEle para outras pessoas. A princípio, acreditava que assumindo verdadeiramente a religião cristã eu estaria protegido de exatamente tudo de ruim que poderia acontecer, como se estivesse em uma bolha. Achava que sofrimentos, tristezas e até problemas financeiros não atingiriam mais a minha vida, pois eu havia me protegido no cristianismo. Mas o tempo foi passando e fui percebendo que muitos dos sofrimentos continuavam, alguns problemas perduravam e, pior ainda, via que tudo o que acontecia com as pessoas que não aceitavam a Cristo também acontecia comigo. A grande pergunta: qual é a vantagem em aceitar a Jesus? O que ganhamos quando decidimos mudar nossa vida para seguir com a vontade dEle (que, muitas vezes, é diferente da nossa)?

Essas indagações surgiam em minha mente quando alguém me procurava querendo fazer parte da minha religião para se ver livre dos problemas. Eu queria poder dizer à essas pessoas que vindo a Cristo elas estariam livres de todo o tipo de sofrimento, mas não seria verdade. Às vezes entrava em “pânico” quando alguém queria que eu prometesse que, se ela aceitasse a Jesus, aquela dificuldade que ela estava passando cessaria naquele momento. Isso é normal, somos seres humanos. Só aceitamos algo se aquilo for trazer algum benefício para nós (e isso não deixa de ser um pensamento coerente).

O problema de muitos de nós está em acreditar que Jesus veio para nos colocar em uma bolha de proteção e fazer com que passemos por este mundo sem nenhum arranhão. Na verdade, ele disse o contrário: “Neste mundo vocês terão aflições…” [João 16:33]. O que Cristo realmente prometeu foi paz, uma paz diferente da que prega o mundo [João 14:27]. Cristo também prometeu esperança de que tudo isso que estamos passando logo acabará, pois Ele virá para nos buscar [João 14:2]. Jesus realmente pode fazer com que vivamos sem sofrer um único “arranhão”, Ele tem Poder pra isso. Mas a partir do momento que entendemos que o Mestre veio para nos dar Paz e que voltará para vivermos para sempre com Ele, as dificuldades e sofrimentos se tornam tão insignificantes que, muitas vezes, nem nos importamos se vamos passar por eles. Há uma esperança. Há uma certeza. Há uma segurança. Quando se adquire esta consciência, parece que o mundo fica mais colorido, alegre e dá mais vontade de sair por aí fazendo o bem, fortalecendo e animando as pessoas à nossa volta.

Qual é a vantagem em aceitar a Jesus? A vantagem é que Ele mudará sua visão de mundo, tornará tudo mais belo e te dará forças para continuar firme mesmo em meio as dificuldades. Como Ele faz isso? Colocando em seu coração que tudo o que você está passando agora é passageiro, vai acabar e em muito breve [Romanos 8:18]. Apenas creia!

(Foto: Universidad de Montemorelos)

21
nov

Dia da Consciência Negra

Gelson de Almeida Jr.

Ontem, 20 de novembro, comemorou-se no Brasil o Dia da Consciência Negra. Um dos objetivos do governo ao criar esta data, a “Cota nas Universidades”, etc, foi  o de diminuir ao máximo com o preconceito e a discriminação em relação a este povo. Discriminação é coisa antiga, por volta de 1500 a.C. Moisés viu sua irmã zombar de sua mulher por ela ser negra. Nos tempos de Cristo o assunto era muito mais sério, pois, aqueles que se diziam “povo de Deus” discriminavam, entre outros os samaritanos, as mulheres e os publicanos.

Mesmo vivendo em um país onde cerca de 85% da população afirma seguir os ensinamentos de Cristo, atitudes deste tipo ainda são comuns. Sinal claro de que os ensinamentos do Mestre ainda precisam ser melhor introjetados em cada um de nós. O evangelho de Cristo foi revolucionário porque ensinava o amor a todos, amigos e inimigos, ensinava o respeito às autoridades constituídas e a igualdade entre todos, independendo da idade, cor da pele, condição social, religião ou sexo. Todos somos filhos do Pai, com direitos e obrigações iguais.

Não basta se declarar filho do Pai é preciso agir como tal, se isto ocorresse leis como as acima citadas não precisariam existir, pois amor, respeito e luta pelo bem comum seriam os objetivos de todos. Vivemos em um mundo onde os efeitos do pecado são visíveis, mas isto não nos desculpa de fugir do ideal divino. Não diga que você é filho do Pai, mostre.

29
fev

Amor a Deus = Forca

Gelson de Almeida Jr.

Dias atrás, um jornal televisivo do Brasil apresentou uma reportagem sobre o pastor Youcef Nadarkhani, 34, iraniano condenado ao enforcamento, por ter abandonado o islamismo e se converteu ao cristianismo e querer que seus filhos estudem a Bíblia. Por três vezes teve a opção de negar sua fé em Cristo e retornar ao islamismo, o que determinaria o fim da sentença de morte, mas ele não aceitou. A trajetória de Nadarkhani é muito diferente da vivida pela maioria dos cristãos, que nunca foram sentenciados à morte por seu amor e dedicação a Deus.

A grande verdade é que, infelizmente, muitos que se dizem cristãos, apenas o são por puro conforto ou formalidade. Fico espantado quando pergunto a alguns alunos qual é a religião que professam e vejo que cerca de um terço afirmam não seguir religião nenhuma, ou não ter a menor ideia de qual seja a religião dos pais.

Qual “tipo” de religião você professa? Quem mais, além de você é claro, sabe sobre a sua fé? Não importa onde ou como, temos que ser testemunhas de Cristo (Atos 1:8).

Se, faz tempo que você falou de sua fé a algum amigo ou parente, ou se você tem desperdiçado oportunidades de falar do seu Deus, cuidado, sua saúde espiritual está em perigo. Ser cristão é muito mais que estar disposto a morrer por Cristo, é se dispor a viver por Ele.