Tag Archive: Alívio

06
jul

Deposite seu Fardo

Gelson de Almeida Jr.

É conhecida a história do carroceiro que vê uma idosa caminhando pela estrada, carregando um pesado saco às costas. Ele para e pergunta-lhe se quer carona. Com os olhos brilhando de alegria ela aceita, uma coisa, porém, intriga o homem, a mulher continua com o saco às costas. Ele lhe diz para que o coloque num dos cantos da carroça, mas ouve da mulher:

– Moço, o senhor já está me ajudando tanto me dando carona, imagina se vou abusar de sua bondade? Deixe que eu mesma levo o saco.

Por mais absurda que pareça a atitude da mulher, infelizmente, é a atitude de muitos quando vão a Deus. Arqueados sob o fardo do pecado e de suas consequências, juntam todas as suas forças e vão até o Eterno, lá chegando, porém, ao invés de depositar aos Seus pés todo o fardo de sua vida, apenas se contentam em ali permanecer. Estão aos pés do Salvador, mas ainda presos ao fardo do pecado.

mulher carregando fardoQuando Cristo fala “Vinde a mim os cansados e sobrecarregados” (Mateus 11:28), isto é muito mais que um convite para ir até Ele, é um convite para irmos até Ele e depositarmos todo o fardo de nossa vida aos Seus pés. Após morrer por nós Seu maior desejo é o dar-nos alívio de todo o fardo de nossa vida.

Sendo um Deus de amor, nos ama incondicionalmente, deste modo, não há nada que possamos fazer para que deixe de nos amar e, nos amando tanto, quer aliviar toda a nossa dor e sofrimento. Portanto, o fardo está pesado, a dor é grande, as dúvidas e incertezas o assolam? Vá até Ele, deixe que Ele o tome em Seus braços de amor e carregue o seu fardo.

14
maio

Quem é este?

Gelson de Almeida Jr.

Certa feita um paralítico foi trazido por quatro amigos para se encontrar com Jesus (Lucas 5:17-25). Devido à multidão presente não puderam chegar pelas vias normais até Cristo, decidiram então tomar uma atitude inusitada, abriram um buraco no telhado e desceram a cama do amigo até Jesus. Vendo tudo isto Cristo se apiedou do pobre homem e disse-lhe que seus pecados estavam perdoados. “Quem é este?” foi a pergunta feita entre escribas e fariseus, críticos contumazes de Cristo, que o acusavam de blasfêmia. Sabedor de tudo Cristo os repreendeu e, para mostrar o poder e a autoridade que possuía, disse ao homem para se levantar e caminhar.

Alí estava um homem esmagado pelo fardo do pecado, um homem que não podia mais andar e dependia dos amigos para se locomover, um homem que tentara de tudo para se curar, mas nada dera certo, Cristo era sua última esperança de alívio e cura para o sofrimento da alma e do corpo. Não foi desapontado, em poucos minutos ganhou as duas coisas, o perdão de toda uma vida de pecados e a cura da paralisia. Poucos minutos com Cristo reverteram aquilo que o pecado levara anos para destruir. “Quem é este?”, de forma clara e incontestável Cristo respondera à pergunta feita por escribas e fariseus.

A boa notícia é que o Cristo deste relato é o mesmo que ainda diz que os que forem até Ele jamais serão lançados fora” (João 6:37). O poder que agiu no paralítico está à sua disposição para o que for preciso. Ninguém que vá a Ele fica desapontado ou desamparado, pois a todos atende com amor e carinho. Nem sempre você receberá o que deseja, mas sempre receberá muito mais do que precisa. Apenas confie, vá até Ele e o milagre será feito.

10
abr

O sofrimento de Letícia

Gelson de Almeida Jr.

Há momentos em que parece que tudo conspira contra nós, nos sentimos o mais infeliz dos mortais, acordamos com este sentimento e, quanto mais o dia passa, parece que a sensação aumenta. Em  momentos assim perguntas como: “Por quê?”, “Até quando?” ou “Quanto mais?” são feitas com frequência.

Ontem constatei que nada do que passei até hoje se compara com a vida de Letícia, de doze anos. Há menos de quatro anos, numa ação imprudente da polícia, um projétil de arma de fogo transfixou a perna de seu irmãozinho de um ano e nove meses e atingiu sua mãe, que o segurava no colo, matando-a em minutos. Conheci Letícia há mais de um ano e nunca houve um dia sequer em que não a visse sorrindo e brincando com seus colegas. Ontem mais uma fatalidade se abateu sobre ela. Seu pai faleceu em um acidente quando voltava do hospital onde havia deixado a mãe minutos antes. Um sentimento de impotência me invadiu quando a abracei no velório, o que falar que servisse de consolo? Tão nova e a vida já lhe cobrara tanto.

Em momentos como este apenas a Palavra pode nos confortar. Paulo afirma que Deus, por Sua fidelidade e justiça não permite que soframos além de nossas forças e quando o sofrimento vem Ele envia o alívio (I Coríntios 10:13). Que promessa maravilhosa! Temos um Pai que se apieda de Seus filhos e nunca os abandona em momentos de dor e crise. Não existe dor ou sofrimento que Ele não possa curar, não existe vida que Ele não possa restaurar. Entregue-Lhe seu fardo e o melhor será feito por você.