Não levante nem sacuda a poeira

Não levante nem sacuda a poeira

Por |

Há certos axiomas bíblicos que eu preciso considerar seriamente de tempos em tempos, sob pena de chegar ao ponto de apenas imitar comportamentos cristãos sendo outra coisa por dentro. E nada é mais trágico que isso. Simeão me ajudou com isso esta semana.

Simeão aparece em Lucas 2 como um “homem justo e temente a Deus… e o Espírito Santo estava sobre ele” (verso 25). Esse Espírito havia revelado que ele não morreria sem ver o Messias e o impeliu a estar no templo no exato dia em que Maria e José levavam Jesus para ser circuncidado. Simeão pegou o menino no colo e falou algumas coisas interessantes, uma das quais eu talvez estivesse entendendo errado esse tempo todo.
Quando eu lia que Simeão havia dito que o menino “é posto para queda e levantamento de muitos” (verso 34) , eu sempre entendia que Simeão estava falando que Jesus derrubaria alguns e levantaria outros, mas a leitura de D. Martyn Lloyd Jones desse texto é diferente. Ele conecta essa passagem à primeira bem aventurança: bem aventurados os humildes de espírito. Se eu quiser ser exaltado por Jesus como Ele mesmo quer que eu seja, primeiro eu preciso cair. A queda e o levantamento, portanto, seriam experiências vividas pelas mesmas pessoas, e não por grupos diferentes.
Se eu esqueço que a humildade é uma condição sine qua non para o reino de Deus, eu posso ter atitudes humildes como hábitos mecânicos treinados, mas ainda assim estar totalmente divorciado do Espírito de Jesus. Ou você nunca encontrou pessoas afetando humildade e sendo monstros altivos e arrogantes por baixo da casca? Ou você acha que não corre o risco de ser essa pessoa?
Para ser melhor do que sou, preciso reconhecer que nada sou e, lendo a Palavra, reafirmar essa consciência regularmente. Obrigado, Simeão, obrigado Mr. Jones.