Blog

27
set

Só nos resta aprender

Marco Aurélio Brasil

O problema do antigo Israel era basicamente o mesmo problema nosso aqui. Eles adoravam a Deus meio que no automático, mas curtiam manter altares para outros deuses ao mesmo tempo.

Então Deus, como um pai que começa a falar mais grosso com o filho, permite que um rei chamado Cusã (talvez cansado com o bullying por causa de seu nome) subjuga Israel por oito anos. Deus ouve o clamor e Otniel, o genro de Calebe, salva o dia. Quarenta anos depois são os moabitas e amonitas que vêm e fazem a festa durante dezoito anos, até Eúde livrar o povo. Oitenta anos depois, os cananitas oprimiram Israel por vinte anos até que a profetisa Débora, com a ajuda de outra mulher, Jael, e, como ator coadjuvante, Baraque, vencem o exército opressor.  Passam-se mais quarenta anos e os midianitas oprimem com requintes de crueldade Israel por oito anos até que se levanta Gideão e depois dele Israel tem novo tempo de paz. E o que Israel faz na paz é que é um problema.
11
O capítulo 10 do livro que conta essa história, Juízes, tem um detalhe interessante. Israel voltou a fazer caca, contaminou sua religião com a de todos os povos em volta e o resultado foi que filisteus e amonitas subjugaram Israel por novos dezoito penosos anos. Foi esse o tempo que levou até lembrarem suas origens, sua História e sua teologia. Então se voltaram a Deus e pediram livramento. A resposta divina foi bastante curiosa. Ele lembrou todos os povos dos quais havia livrado Israel naqueles anos todos, e então disse, numa lógica irretorquível: “Ide e clamai aos deuses que escolhestes; que eles vos livrem no tempo da vossa angústia”  (verso 14).
O que Israel fez na sequência determinou sua sorte. Eles confessaram seu pecado e arrancaram os ídolos e altares pagãos de seus domínios. Então Deus suscitou Jefté para salvar a lavoura.
Cansado de clamar por livramento? Cansado de pedir por uma saída? Bem, a conclusão do relato acima pode soar meio legalista, mas a verdade é que às vezes é preciso mais do que meras palavras. O pai que falou grosso espera ver se o filho assimilou devidamente a disciplina a ponto de evitar se colocar em situação de risco outra vez. E a gente demonstra isso arrancando os altares para aqueles outros deuses da nossa casa.
Talvez isso represente a desinstalação de certos aplicativos do celular, ou represente o rompimento em certos relacionamentos, talvez represente ajustar o despertador para outro horário ou pedir o cancelamento da assinatura da Netflix. Não sei, mas você sabe. O fato é que tudo o que está escrito é para nosso ensino. E, como canta Beto Guedes em seu hino à primavera (que acabou de começar), a lição sabemos de cor, só nos resta aprender.

25
set

Guerra e Paz

guerra-e-pazO que poderia livrá-lo daquele desencanto geral? Seu rosto expressava tamanho abatimento, que era nítida a tradução de sentidos entorpecidos. Parecia que nada poderia movê-lo daquela apatia. Não havia brilho nos olhos, tampouco lágrimas. Seu estado nem mesmo denotava uma tristeza profunda, condizente à situação. De repente, ele passa a mão sobre o seu rosto e olha para a palma ensanguentada. Nem isso o fez mudar seu semblante. Apenas cinco anos de idade e a vida não tem sentido.

O que será ele espera da vida? Com tão pouca idade e nenhuma referência de alegria, ele talvez nem mesmo saiba o que seja sorrir. Naquele instante se potencializa nele o acúmulo de sentimentos distorcidos e confusos, resultado daquilo que entende por realidade. É onde vive e tudo o que tem. Um mundo caótico e violento. Injusto e desequilibrado. Alguns os homens de sua comunidade surgem para acudi-lo. Esse é o seu ambiente desde que Omran nasceu em 2011, ano em que começou a guerra na Síria.

O que difere a vida de muitas pessoas ao redor do mundo à de Omran é apenas a forma como a violência se instala e desenvolve, respeitadas, é claro, as devidas proporções. Quanta gente anda pelo mundo sem brilho nos olhos, com os sentimentos confusos, algumas vezes causados por seus pares, outras por desconhecer outra realidade. Mesmo aos que conhecem a riqueza das escrituras e delas puderam beber água limpa um dia.

Muitas das guerras que assolam nossas vidas estão instaladas dentro das igrejas, nos lares, nos governos, nas escolas e universidades, sustentadas por munições como desprezo, ciúme, rancores, orgulhos e vaidades. O homem tem maltratado a si mesmo quando age dessa forma em relação ao seu próximo. Os conhecedores do evangelho, sobretudo, não deveriam agir de outra forma senão unindo-se ao seu próximo, por ele se preocupando e a ele amparando. Mas essa não é a realidade, e por isso mesmo também de maneira distorcida, não raro o evangelho é desacreditado, a fé se esfria e a igreja que é o corpo de Cristo deixa de cumprir sua missão, que é a de amparar uns aos outros.

Cumpre ressaltar que a razão do evangelho é o encontro com Cristo e a volta aos caminhos do Eterno, contudo, é diante do homem que vivenciamos a sua prática, efetivando o conhecimento que dele se depreende. Pouco ou nada podemos fazer para que guerras como a que assola a Síria possam cessar, no entanto, muito podemos a partir de nossas comunidades, permitindo que transformações se deem de dentro para fora, alcançando nossos irmãos que por um motivo ou outro se encontram apáticos, confusos, e repletos de sentimentos totalmente diversos aos resultantes de uma vida entregue aos caminhos do evangelho. O que dirá então àqueles que nem mesmo conheceram esse resgate.

Amar sem julgar, de forma incondicional, é o que nos resta. E que Deus nos ajude, pois nele podemos todas as coisas, inclusive cessar as guerras internas e externas. Que a paz do Senhor esteja com todos ao longo desta nova semana, proporcionando transformações para um mundo melhor.

Sadi – Um Peregrino da Palavra

 

23
set

Fórum sigaME 2016 – Inscreva-se

Maninho Alves

Será realizado nos dias 23 e 24 de Outubro de 2016 a nova edição do Fórum SigaME. Os palestrantes deste fórum serão os pastores: Kleber O. Gonçalves, Wilson Paroschi, Felipe Tonasso, Marcelo Dias, Edilson Valiante, Amin Rodor e Fabiano Mendes. Saiba mais: clique aqui

SigaME_2016

23
set

Pr. Fabiano Mendes, convida

Comunicação

Neste sábado (24/09), às 17h e 19h, o terceiro tema da série, O MELHOR DA VIDA. Como escolher entre vantagens presentes e vantagens futuras? É possível ter as duas coisas? Esta série foi feita para você. Participe conosco e descubra como ter O Melhor da Vida.

 

23
set

Convite para a Melhor Idade

Maninho Alves

Domingo, 02/10, às 17h, senior acima de 60 anos, venha tomar um chá e passar uma noite agradável conosco. . Abordaremos temas focados em qualidade de vida com a presença de profissionais fisioterapeutas, médicos e profissionais de beleza.

idosos

23
set

Programação Comunidade

Comunicação

Neste sábado, 24/09, às 9h30 e 12h, última parte da série, SETE CARTAS. No livro do Apocalipse encontramos uma coleção de mensagens de Deus para sua igreja. Venha descobrir o que Deus tem a dizer para você nas Sete Cartas. Venha e participe.

 

Sete-Cartas-telão

23
set

Baixe nosso aplicativo?

Comunicação

Baixe o aplicativo oficial da Nova Semente e fique por dentro de tudo que acontece: vídeos, áudios, notícias e muito mais…Não perca nenhuma informação e acesse a qualquer momento e na palma da sua mão. Disponível nas lojas Play Store e App Store.

23
set

Diálogos Interativos – 24/09, às 15h

Comunicação

Neste sábado, às 15h, novamente um momento para você compartilhar histórias de vida, sabedoria, conquistas, alegrias, perdas, dificuldades e encontrar soluções a partir da interação dessas experiências. Você é nosso convidado.

Diálogos 15h

23
set

Sala de Oração, quartas, 20h

Comunicação

Venha participar conosco da Sala de Oração, todas as quartas-feiras às 20h. Você pode trazer seu pedido ou agradecimento para que possamos orar juntos! “Ele está perto de todos os que pedem a sua ajuda, dos que pedem com sinceridade”. Salmos 145:18

Programa_SalaDeOracao

1 2 210