# A persuasão das palavras

# A persuasão das palavras

Por |

Outro dia li um professor de literatura ressaltar sobre a importância do que dizemos na internet, afinal isso pode influenciar pessoas, tornando-nos responsáveis pelos sinais que emitimos e rumos que sugerimos. A propósito, contos e histórias são construídos por palavras e suas escolhas dão ritmo ao texto ou o tornam maçante, fazendo com que a leitura seja agradável ou não. Contudo, as palavras, mesmo bem colocadas, não são garantia de bons conteúdos a serem absorvidos por quem lê. É preciso ler as entrelinhas.

Já reparou que determinados discursos servem para qualquer ideologia? Palavras são instrumentos poderosos que desempenham um forte impacto sobre as nossas vidas.  É preciso sempre tomar algum cuidado. Há palavras bem colocadas, com argumentos que parecem lógicos, contudo podem muito bem ocultar a verdade. Estas geralmente são concebidas por argumentos capciosos, que têm a intenção de enganar a quem ouve, induzindo ao erro. Vide a má-fé usada pela serpente. Vide sob que circunstâncias Jesus foi tentado no deserto.

Há vídeos de sobra na internet demonstrando a distorção da palavra de Deus quando usada para obter vantagens. Chegaram ao absurdo de testemunhar que em determinada ocasião a invocação do nome de Jesus não teria sido suficiente, restando ao posicionamento pessoal a vitória sobre o mal. Tal contexto não merece comentários. Pessoas são fortemente influenciadas por discursos inflamados, deixando-se levar quando olham apenas para suas paixões, desviando o seu olhar do Cristo.

Disse Jesus que nos acautelássemos dos falsos profetas, observando seus frutos. Isso serve para qualquer contexto da vida, seja político, profissional ou pessoal. Examinai tudo e retende o bem. Mas como haveria de o homem reconhecer tais nuances? Levando o fato ao exame das escrituras.

Diz a palavra que o fim dos tempos reserva o surgimento do inimigo, enganando até mesmo aos escolhidos. Seu discurso será acompanhado de toda a sorte de artimanhas para que sua palavra se concretize com poder.

Portanto, seja a palavra que saia da nossa boca, seja a palavra que ouvimos, não nos apeguemos à persuasão que engana e seduz. Antes examinemos as intenções do coração, os frutos e o seu reflexo segundo as escrituras, fazendo surgir o que há nas entrelinhas. Por fim, que possamos orar para que Deus purifique nossos lábios e tire de nossa boca tudo o que não seja para edificar junto à Sua obra.

Sadi – O Peregrino da Palavra