Monthly Archive: novembro 2016

30
nov

Ela está surda!

Gelson de Almeida Jr.

Dias atrás li a curiosa história de um homem que conversava online com o filho médico que residia distante dele. Mostrava preocupação com a esposa, que apresentava sintomas de surdez. Preocupado o filho pensa em visitar os pais o quanto antes, mas pede que o pai faça alguns testes com a mãe afim de determinar o grau de surdez. Disse-lhe que ficasse a cerca de 15m e fizesse uma pergunta, caso ela não respondesse ele deveria encurtar a distância em 5m e fizesse novamente a pergunta, e assim sucessivamente, até que ela respondesse.

À noite, quando a esposa preparava o jantar o gentil homem iniciou o teste e perguntou à esposa o que teria para o jantar. Como não obtivesse resposta diminuiu a distância até que chegou bem próximo do ouvido da esposa. Repetiu a pergunta e a mulher virou-se para ele e disse:

Credo velho, dá próxima vez que nosso filho vier nos visitar, vou pedir para ele para examinar você, pois eu acho que está ficando surdo. Essa é a quarta vez que eu respondo que vamos ter frango para o jantar.

homem-idosoPobre homem, a doença que imaginava estar em sua esposa estava nele próprio.

A história carece de provas quanto à sua veracidade, mas ilustra muito bem a situação de muitos cristãos que tentam consertar o mundo. Do alto de sua “perfeição” olham, até com certo desdém, para os que os cercam, todos estão errados, menos eles. Quando vão à igreja e ouvem um poderoso sermão, olham para os lados à procura de alguém para quem sirva, não contentes, sempre lembram de alguém que não está presente, mas para quem o sermão cairia feito uma luva.

Pessoas assim esquecem que Cristo nos proíbe de julgar nosso próximo (Mateus 7:1). Cristo vai além ao afirmar: “Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão” (Mateus 7:5).

Como é fácil “enxergar” os defeitos alheios e difícil aceitar nossas imperfeições! Felizmente o Eterno é um Pai amoroso que sempre está pronto a nos perdoar, um Pai que enviou o Filho, para que um dia fosse nosso Redentor, mas que agora é nosso Advogado de defesa (I João 2:1 ACR). Só Ele pode nos julgar, mas, por seu grande amor, prefere nos perdoar.

29
nov

Bons e velhos tempos?

Marco Aurélio Brasil

“O mundo entrou na igreja!” Imagine essa frase com uma música de filme de terror e o quadro O grito, de Munch em resposta.

Eu assisti essa cena milhares de vezes em minha vida de cristão: defensores dos bons e velhos tempos denunciando as alterações de formas. Curiosamente, a cena se repetiu pouquíssimas vezes no sentido contrário. Não vi muita gente reclamando do fato de que “a igreja não entrou no mundo”. Ora, entrar no mundo é exatamente a vocação e missão da igreja.

Isso é que vocês são

Isso é que vocês são

Na última semana argumentei que talvez as bem aventuranças, com a qual o sermão do monte começa, sejam menos uma lista de características dos santos e mais uma indicação de quão acessível e presente está o Reino de Deus. Bem, logo na sequência Jesus afirma: “Vocês são o sal da terra. Mas se o sal perder o seu sabor, como restaurá-lo? Não servirá para nada, exceto para ser jogado fora e pisado pelos homens. Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte.” (Mateus 5:13 e 14)

Sal e luz são coisas diferentes. O sal é (deve ser) discreto. A luz é histriônica, impossível de se ignorar. O sal conserva e realça o sabor próprio do alimento. A luz torna o entorno perceptível, evita a queda e os tropeções.

E os defensores dos bons e velhos tempos usam esse texto como evidência de que o cristão precisa ser diferente do mundo, quando não é isso que Jesus está falando. Primeiro, Ele não diz que temos que nos esforçar para ser algo. Todos que acessam o Reino de Deus já são o sal e a luz. Jesus está advertindo não contra não nos esforçarmos muito para ser algo, mas contra a possibilidade de perder uma característica que já temos (o sal se torna insípido pela contaminação com agentes degradantes, a luz deixa de iluminar por ser deliberadamente escondida embaixo da cama).

E como é que nós, que ingressamos no Reino, salgamos e iluminamos o mundo? Com nossa esquisitice? Vestindo uma roupa diferente, se mantendo longe dos mundanos, fazendo questão de mostrar que comemos uma comida mais pura e ouvimos uma música mais santa? Não. Com nosso espírito manso, pacificador, com nossa sede de justiça e aqueles elementos presentes no Reino, segundo as bem aventuranças. Com nossa imitação do Mestre. “Nisso conhecerão todos que vocês são meus discípulos: se tiverem amor uns pelos outros” (João 13:35).

A tragédia do sal é não cumprir sua vocação e missão de salgar, não de ser “parecido com a comida”. Uma vez ingressando no Reino, já somos radicalmente diferentes, já somos as novas criaturas de que fala Paulo (II Coríntios 5:17). Viemos das trevas para a luz, deixamos o estado de morte espiritual para a vida e o batismo do Espírito Santo. Essa diferença vem de dentro para fora, não o contrário, e é muitas vezes sutil, e se revela muitas vezes apenas no momento em que o cristão com a possibilidade de agir de forma egoísta imita Jesus. A tragédia da luz é ser tapada com medo de ser contaminada pela escuridão.

Desculpem-me os defensores dos bons e velhos tempos, mas nos bons e velhos tempos as pessoas morriam de fome e sede por falta de sal e de luz e ninguém parecia reclamar daquilo contra o que o Mestre advertiu. Elas estão morrendo hoje também, então que tal direcionar seus canhões de crítica contra o que realmente merece ser criticado?

25
nov

Adoração

Gelson de Almeida Jr.

“A devoção não está no joelho que se dobra, mas no coração que não se vê dobrar”. H. Balzac


dar-coracaoMesmo uma reflexão superficial da frase acima mostra que ela apresenta uma profunda verdade e uma realidade cada vez mais palpável de nossa sociedade. Em um país cuja maioria esmagadora da população se declara cristã, 86,8 %, segundo o Censo feito pelo IBGE em 2010, fica difícil imaginar que essas pessoas não sejam adoradores do Altíssimo.

A verdade, porém, é que a maioria esmagadora daqueles que se declaram cristãos é a de que não são assíduos e fieis a nenhum segmento religioso. São indivíduos que possuem pouco ou nenhum envolvimento com o corpo de doutrina de sua igreja e com os trabalhos e serviços por ela realizados.

Falando aos escribas e fariseus Cristo, citando o profeta Isaías, Cristo disse que essas eram as pessoas que se aproximavam dEle com a boca, O honravam com os lábios, mas tinham o coração longe dEle (Mateus 5:18). Que triste situação a desses indivíduos! Enquanto o exterior dizia que eram seguidores do Eterno, o interior mostrava a realidade, a de que não eram verdadeiramente seus seguidores.

Mas, como saber se fazemos parte desse grupo? Existem alguns indícios, muito básicos, que podem servir de auxílio no autoexame. Perguntas simples, mas que podem ajudar a mostrar o tipo de adoração que praticamos.

– Com qual frequência você frequenta os cultos e como é seu comportamento/envolvimento com o que acontece lá?

– Como fica seu coração e qual é sua atitude quando se recolhem os dízimos e ofertas ou quando é feita uma campanha para se angariar fundos para algum projeto?

– Qual é o seu estado de espírito quando é convidado a dispor de seu tempo e recursos para ajudar os mais necessitados?

– Quais palavras melhor descrevem sua atitude religiosa, serviço, altruísmo, abnegação, desprendimento, desinteresse, desapego, egoísmo, egocentrismo ou misantropia?

Muito mais ainda poderia ser dito, mas isto já serve para iniciar uma reflexão sobre o tipo de adoração que praticamos. O Pai não pede muito, pede apenas o nosso coração (Provérbios 23:26). Não se preocupe em ter uma “religião de joelhos dobrados”, trabalhe para praticar uma religião de coração rendido ao Eterno.

24
nov

Revoluções

Marco Aurélio Brasil

Em 1979 o Dr. Alvin Silverstein, Ph.D. (como os americanos dessa seleta casta fazem questão de se identificar), publicou um livro denominado A conquista da morte, no qual profetizava: “Por volta de 1983 inicia-se a interrupção do processo de envelhecimento; 1989 -– duração de vida prolongada indefinidamente; 1999 –- conquista da doença e da morte”.

Os movimentos libertários dos anos 60 formaram uma geração disposta a buscar em qualquer campo de conhecimento humano as respostas que julgavam não achar nos esquemas da maioria. Assim, experiências com LSD, ópio e haxixe tornaram-se válidas, no seu entender, para alcançar a expansão da mente e atingir níveis ainda não palmilhados de “iluminação”. Eles entendiam que durante milênios o homem esteve buscando as respostas do lado da espiritualidade, e elas não vieram, o estado religioso não havia tornado o homem feliz e completo. Foi a vez, então, de os cientistas saírem em sua busca pela tal da felicidade, mas eles voltaram com uma série de inventos e descobertas estimulantes, contudo ineficazes para o fim maior: felicidade, senso de propósito, sentido para a existência.

Agora, quando a evolução do gênero humano atingiu um grau satisfatório, o homem poderia enfim juntar as duas escolas, unindo fé e razão, e colocando experiências outrora tratadas como místicas no campo da razão e da ciência. Uma nova era, um novo homem estaria pronto para nascer. Um homem capaz de mudar todos os paradigmas, não mais se conformar com a morte, com a fome, com falhas da comunicação, enfim, um homem pronto para viver em uma nova escala de existência, um novo patamar de consciência, sem dor, sem preconceitos, sem mágoas, sem traumas.

A realidade parece sempre dar um banho de água fria nos otimistas. 1999 passou e, salvo ledo engano deste leigo que vos fala, nem a conquista projetada para 1983 foi alcançada, embora haja gurus místico-científicos apregoando fórmulas de interrupção da velhice. Os adeptos da Era de Aquarius devem andar macambúzios com a velocidade
de instalação da dita. Ela insiste em não vir. O conhecimento científico continua a se multiplicar em escala geométrica, mas o homem permanece o mesquinho e preconceituoso de sempre, aferrado a sua realidade, a sua verdade míope.

Vivemos num momento, pois, de morte das ideologias. O termo “fundamentalista” é visto com o horror pela grande massa. Os pregoeiros da nova era parecem ter errado tanto quanto qualquer grupo que supõe ter uma verdade. Nesses momentos de apatia ideológica, então, é que revoluções acontecem. Qual será a próxima? Se a união
ciência-misticismo, mas tendendo para a ciência, não deu certo, creio que a próxima revolução há de ser um misticismo-ciência: aceita-se as grandes conquistas e luzes que a ciência trouxe, mas volta-se a um estado de governo da voz mística, a voz do grande pai espiritual; ele é quem há de conduzir o rebanho.

Ora, toda revolução coloca em situação desconfortável os seus contrários. Os céticos e os fundamentalistas, então, hão de ser marginalizados. Ora, como seres sociais que somos, ninguém gostaria de ser marginalizado. A menos que exista, de fato, uma “verdade” e ela seja diferente da postulada por mais essa revolução.

E é. “Eu sou a Verdade”, disse Jesus. Nenhum outro “guru” jamais ousou afirmar algo assim. O tipo de relacionamento que você desenvolve com Ele determina em que lado do estouro da boiada você está.

O dia vem em que aquele que se posiciona ao lado da Verdade e que alimenta seu tipo peculiar de otimismo não há de ser frustrado. Só 01quero estar lá para ver.

23
nov

Cristo, volte já.

Gelson de Almeida Jr.

volta-de-jesusUm ano e quatro meses! Começa em 16 de julho de 2015, quando perco minha mãe e termina dia 20 passado, quando perco outra pessoa que muito querida e amada que muito me ajudou e alegrou a vida nos últimos sete anos, esse que classifico como o período mais triste de minha vida. Perto de tudo isso o assalto pelo qual passei, dias atrás e do qual ainda estou muito traumatizado, se torna coisa de pequena monta.

Durante esse tempo tive alegrias muito grandes também, mas hoje quero me deter naquilo que me chateou e me deixou triste, não especificamente no que me entristeceu, mas como devo reagir diante de tudo isso.

No evangelho de João, no capítulo 11, encontramos o relato da ressurreição de Lázaro, amigo íntimo de Jesus, a quem Ele amava profundamente. Cristo sabia que Lázaro estava doente, pois suas irmãs haviam mandado o recado (v.1), sabia que aquela doença o levaria à morte, mas não fez nada para alterar a situação, pelo contrário, ficou exatamente onde estava por mais dois dias (v.6). Findo esse período chama seus discípulos e vai a Betânia. Assim que chega encontra Marta que lhe diz: “Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido”.

Se você conhece o final da história sabe que, momentos depois Cristo ressuscitou a Lázaro. Como Cristo não estava pessoalmente em Betânia Lázaro faleceu, mas quando lá chegou não esperou muito, ressuscitou a Lázaro. A frase de Marta, citada acima, mostra que ela sabia que Cristo era sinônimo de cura, de vida. Segunda feira, olhando para aquele corpo inerte, sem vida pensei muito em como seria bom se Cristo estivesse por ali, sem dúvida alguma ele a teria ressuscitado e todos estariam felizes agora, mas esta não é a Sua vontade e tenho que respeitar.

Causado por dores tão angustiantes surge um desejo que tenho vontade de expressar com gritos a plenos pulmões, mas que tenho me contentado apenas em pensar, e a pedir, de modo incessante: Cristo, volte já.

Quando minha mãe faleceu este se tornou o meu desejo, mas vejo que não fui muito além de “desejar”. Não adiantou, agora a dor veio novamente, decidi que preciso passar do desejo para a ação se não quiser passar por momentos tristes novamente. Não me resta outra alternativa a não ser viver e pregar o evangelho do Mestre para que Ele volte a este mundo e acabe com toda essa miséria, dor e sofrimento.

Se, como eu, você tem passado por momentos ruins, por dias escuros em sua vida, una-se a todos aqueles que tem trabalhado para “apressar” a volta de Cristo, se sua vida é boa o suficiente para que não tenha esse desejo, peço que não espere a dor chegar, una-se a nós e trabalhe para que o Salvador venha logo e acabe com toda essa miséria, e toda a sorte de angústia, dor e sofrimento. Cristo, volte já, que este seja seu desejo e aquilo que norteie seu pensamento e suas atitudes.

22
nov

Tem futuro

Marco Aurélio Brasil

Segundo leio em Mateus 4:17, o resumo da pregação de Jesus naqueles primeiros dias era “Arrependam-se, pois o Reino dos céus está próximo”. Ele convoca Seus primeiros discípulos e começa a percorrer a Galileia pregando e curando os doentes, um coquetel que se mostra irresistível para as multidões.

 É nesse contexto que Ele se assenta num monte e começa o maior de Seus sermões registrados, um sermão revolucionário e de uma profundidade inigualável, que começa com uma lista de tipos de pessoas consideradas felizes por Ele, e felizes porque havia promessas inefáveis para um futuro que Ele não diz se está longe ou perto.

1-dj9tww8axq4srrafpbrz5q

 Confesso que até hoje não sei bem como ler as bem aventuranças. Será que Jesus está dizendo que eu tenho que procurar ser pobre de espírito, chorar e ser perseguido? Se Jesus enumera qualidade que todos deveríamos perseguir (algo que funciona melhor com “misericordiosos”, “puros de coração” e “pacificadores”), Ele não estaria estabelecendo assim um tipo diferente de salvação pelas obras?

 Sei que muitos teólogos tentam explicar “o que Ele realmente quis dizer” quando falou de pobres de espírito, chorões e perseguidos. Pobres de espírito seriam pessoas que não maquinam o mal, os que choram seriam os que se arrependem pelo pecado e assim por diante. Mas preciso admitir que fico um pouco desconfortável com essas nossas tentativas de torcer o texto para que ele diga mais ou diferente do que está escrito.

 Talvez Jesus não esteja exatamente enaltecendo qualidades que Ele gosta, mas, além de pontuar que a recompensa final está diferida para um momento no futuro, Jesus parece estar frisando a proximidade do Reino. Segundo Jesus, o Reino é tão presente e tão perto que qualquer pessoa, mesmo aqueles que eram então (e até hoje, claro) vistos como perdedores e fracassados sem futuro, como os ignorantes, os que não se vingavam, os que sofriam terrivelmente, bem, até esses poderiam ingressar no Reino. O Reino estava acessível a todos! Na verdade, esses aí estavam mais perto dele do que os que estavam confortáveis e gozando do sucesso efêmero das pompas deste mundo.

 Se é isso mesmo, eu, que tenho a Bíblia lida e relida, anotada e grifada, eu, que adoto com extrema desenvoltura uma grossa casca de santidade e religiosidade, posso estar mais distante do Reino que Ele instalou neste mundo do que os improváveis. Porque na lista de Jesus, geralmente é bem aventurado quem nem suspeitava disso.

O Reino está perto, @migo. Suas portas estão abertas. O futuro diferido é radiante. O convite foi feito mais uma vez.

18
nov

Monopólio da Vida

Gelson de Almeida Jr.

No século XIX um grupo de pastores planejava uma campanha evangelística em uma região da Europa, quando decidiam quem seria o orador alguém sugeriu o grande pregador norte americano Dwight L. Moody (1837 – 1899). Enciumado, um dos pastores presentes, a quem se atribuía um desejo enorme de ser o escolhido, perguntou: “Por que temos que trazer esse tal de Moody do outro lado do Atlântico? Por acaso ele tem o monopólio do Espírito Santo?

Um dos presentes respondeu: “Claro que não! É claro que Moody não tem o monopólio do Espírito Santo, é o Espírito Santo que tem o monopólio dele! ” (Calcula-se em 1 milhão o número de pessoas que aceitaram a Cristo como Salvador pessoal fruto do trabalho de Moody).

Caçula de sua família viu seu pai falecer, em virtude do alcoolismo, quando tinha quatro anos de idade. Adolescente foi enviado pela mãe para trabalhar e morar com um tio que era sapateiro. Lá começou a frequentar as reuniões da igreja, mas sem ter envolvimento algum, mas, em meados da década de 1850 criou uma Escola Dominical, que chegou a ter 650 membros, ali iniciava seu ministério evangelístico. Certa feita perguntaram-lhe qual era o segredo para ser um grande evangelista, humildemente disse: “Não há no mundo melhor evangelista que o Espírito Santo”.

homem-bracos-abertosDeixar o Espírito dominar o pensamento e as ações é a chave para o sucesso de todo aquele que quer ter sucesso espiritual e, porque não dizer também, profissional, sentimental, etc. Moody dizia que o mundo ainda não tinha visto o que Deus podia fazer através de uma pessoa totalmente dedicada a Ele (Adaptado). Somos colocados no mundo para fazer nossa luz resplandecer diante dos homens, para sermos o sal que conservará as coisas boas e temperará as insossas.

Quem tem o monopólio de sua vida? “Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará a um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro (Mateus 6:24). Coloque sua vida nas mãos do Eterno e dedique a Ele o melhor do seu tempo útil e torne-se discípulo do Mestre, um conduto vivo do amor do Pai. Ouça o Quarteto Arautos do Rei https://www.youtube.com/watch?v=KTQmsWeqjWI e decida quem você quer colocar em primeiro lugar em sua vida. Coloque em primeiro lugar Aquele que nunca deixa você em segundo plano.

16
nov

Tem Alguém ao Seu Lado

Gelson de Almeida Jr.

Anos atrás ocorreu um terremoto em uma cidade da Romênia. Vários prédios foram destruídos, inclusive uma escola. Quando os tremores cessaram vários pais se dirigiram para a escola, que era apenas um monte de escombros. Os trabalhos duraram horas, cada pai chamava por seu filho, mas não havia resposta. Um a um os pais foram se dirigindo para casa, mas um pai não desistia, a cada pedra removida ele chamava por seu filho, até que uma enorme pedra foi retirada por um guindaste, novamente ele chama pelo filho e ouve uma voz infantil, muito conhecida responder:

– Pai, estou aqui.

O pai pergunta se ele está bem e ele diz que todos estão bem. O pai indaga se há mais alguém com ele e o garoto responde que todos os seus colegas estavam ali, mas com fome e sede. Horas mais tarde, quando a TV local entrevistou o garoto e perguntou se ficara com medo, ele deu uma resposta emocionante:

– Não, eu falei para meus amigos: “Não precisam ficar com medo, meu pai irá nos achar. Ele prometeu sempre estar ao meu lado e meu pai nunca quebra uma promessa”.

mulher-clamandoPouco antes de deixar nosso planeta e retornar aos Céus o Mestre prometeu: “Eu estarei sempre com vocês…” (Mateus 28:20 – BV) e Ele nunca quebrou uma promessa sua. Não importa o que lhe aconteça, como esteja a sua vida ou como esteja sendo tratado pelos que o cercam, você nunca estará sozinho, existe Alguém que nunca o abandonará, quanto pior for a situação, quanto mais negra for a “noite” de sua vida, quando as coisas parecerem não ter mais solução, quando parecer que todos o abandonaram, não desanime, confie, acredite, existe Alguém ao seu lado.

Esse vídeo https://www.youtube.com/watch?v=PP6upWZWfZE apresenta uma pálida ideia de como o Eterno está continuamente ao nosso lado. Ele prometeu: “De maneira nenhuma te deixarei, nunca jamais te abandonarei” (Hebreus 3:5b – NVI) e Ele cumprirá.

12
nov

# O Governante Supremo

o-governante-supremoEleições americanas terminam e entre os principais candidatos venceu aquele que era menos considerado pela mídia mundial. O mundo ficou em estado de choque, afinal, ao que parece, por tudo o que se ouviu ao longo da campanha, o mais desequilibrado homem agora determinaria as diretrizes de um país poderoso, sobretudo pelo poder bélico.

De fato, não causa espanto perceber a reação das pessoas nos dias que se seguiram ao resultado, tanto no ambiente interno quanto no mundial, afinal, o sujeito, de fato, expressara as mais arrogantes opiniões, parecendo um lunático, haja vista os próprios integrantes de seu partido deixarem de o apoiar. Análises políticas à parte, surpreendeu-me, contudo, a opinião de cristãos que se levantaram assustados para dizer que o fim do mundo poderia estar próximo.

Pouco ou quase nada se lê no sentido de que o resultado das urnas o tenha feito repensar seu discurso e atitudes. Explico. Para quem não assistiu, há um vídeo na internet que mostra o candidato, ainda no início de sua campanha, recebendo a visita de cristãos para expressar apoio a ele, finalizando com orações que foram feitas em nome de Jesus, para que, se ele vencesse, tivesse temor a Deus em todas as suas atitudes como presidente.

Por que, afinal, não considerar que o homem tenha sentido temor a Deus diante do resultado das urnas? Digo isso, sobretudo pela repentina mudança em seu comportamento desde o momento em que soube do resultado.

Certezas à parte, todo esse contexto me fez lembrar das atitudes do rei Nabucodonosor e da postura de Daniel e dos sábios judeus que viviam na Babilônia. Especificamente quando Daniel, depois de interpretar o segundo sonho do rei, o adverte a admitir que o Altíssimo domina sobre os reinos dos homens e os dá a quem quer, devendo, portanto, renunciar aos seus pecados e à sua maldade, praticar a justiça e ter compaixão dos necessitados. Sabemos que ele não ouviu o conselho de Daniel, por isso, enlouquecera, restando em estado deplorável.

Por certo que aquela profecia era específica ao caso concreto, contudo, a atitude que teve o rei segue através dos tempos para servir de realinhamento à atitude dos homens, sobretudo dos arrogantes. Apenas quando Nabucodonosor, em determinado momento, percebeu retornar-lhe algum entendimento, e nesse instante não pensara duas vezes em honrar e glorificar o Altíssimo, confessando que o Seu domínio é eterno, e que os povos da terra são como nada diante dele, é que recuperou a honra, a majestade e a glória do seu reino, sendo sua grandeza ainda maior.

E assim ele terminou seus dias, confessando: “Agora eu, Nabucodonosor, louvo e exalto e glorifico o Rei dos céus, porque tudo o que ele faz é certo, e todos os seus caminhos são justos. E ele tem poder para humilhar aqueles que vivem com arrogância”.

Portanto, que nossas atitudes se respaldem nas escrituras, afinal, no dia em que estivermos diante do fim do mundo, tanto melhor, pois Jesus terá voltado, e resistindo até o fim como Daniel e os judeus que não se curvaram, vivenciaremos o governo do Eterno, a quem demos o nosso voto para que governasse o nosso destino essencial.

Sadi – O Peregrino da Palavra

11
nov

Família é tudo de bom

Gelson de Almeida Jr.

Na última terça feira (08/11), fui assaltado quando chegava em casa. Assim que entrei comecei minha via crucis, cancelar cartões, bloquear celular, etc., mas resolvi também compartilhar minha experiência com os amigos de uma rede social. Agora, menos de 24 horas após o ocorrido, vejo que quase 140 pessoas reagiram à minha postagem, um número ínfimo, se comparado aos mais de 4300 amigos que tenho.

Meu objetivo não é reclamar a ausência de ninguém, mas mostrar minha alegria com as mensagens de apoio que recebi, cerca de 80% dos que gastaram seu tempo para me escrever são meus irmãos na fé e vários ofereceram ajuda, inclusive financeira, sem falar nos que disseram que orariam por mim. Que povo! É mais que bom, é maravilhoso fazer parte de uma família como essa, onde seus membros se cuidam, se ajudam, se confortam, etc.

Em um de seus últimos sermões o Mestre disse: “Digo-lhes a verdade: o que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram” (Mateus 25:40 NVI). Tenho certeza de que todos os que se preocuparam comigo o fizeram sem segunda intenção, fizeram por amor e carinho a um amigo, a um irmão, mas foi como se tivessem feito ao próprio Cristo, seu ato, por mais simples que tenha sido, não passou despercebido ao olhar que tudo vê.

pessoas-de-maos-dadasSer um discípulo do Mestre é amar o irmão e amar é olhar para ele; olhar é muito mais que pousar os olhos, é se preocupar com o seu bem-estar e cuidar; cuidar, é ajudar naquilo que for preciso. Na maioria das vezes um olhar, uma simples palavra de conforto, um pequeno gesto de carinho, serão mais que suficientes para acalmar uma alma aflita. Os anjos fariam isso com o maior prazer, mas o Eterno não permite, Ele quer que você e eu o façamos. Está nos colocando à prova para ver como nos sairemos tendo a oportunidade de cuidar daqueles que Ele chama de filhos. Você é filho de Deus, mostre isso ao que o cercam.

1 2