Monthly Archive: agosto 2015

30
ago

# Líderes e desafios transformadores

Líderes e transformaçõesOntem escrevi um texto para o blog da Nova Semente tratando sobre a singular tecnologia à disposição do Pastor Ted Wilson, reeleito presidente mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Essa tecnologia, que restou provada ao longo de milênios não haver nada que a torne obsoleta, trata-se da escritura sagrada, apresentando-se como manual de instruções que nos leva ao convívio diário com o único Software capaz de atualizar o Hardware onde é instalado.

Pois bem, continuo aqui por esta analogia, pois ao tema cabem inúmeras possibilidades. Meditemos em liderança.

O que caracteriza, sobretudo, a vida daqueles que se diferenciam neste mundo? Respondo: O desafio. Essa foi a resposta do Pastor Ted Wilson quando perguntado sobre o que significa a sua recente reeleição para dirigir a IASD mundial. Um instante desafiador.

Assim como as mentes brilhantes sentem-se desafiadas a aperfeiçoarem tecnologias que melhorem a vida das pessoas, me chega à lembrança o exemplo do pastor Kleber Gonçalves. Na última década, ele se mostrou um líder movido pelo mesmo espírito que o pastor Ted Wilson, ambos envolvidos com o melhor dos projetos já colocados à disposição da transformação da vida humana.

Aos olhos do mundo, estes dois pastores testemunham o quanto o posicionamento pela fé, a necessidade do conhecimento correto da palavra de Deus e a utilização dos dons em favor da obra fazem com que vidas se tornem vasos de honra na obra de Deus.

O pastor Kleber não descansou sobre a conquista que se tornou a Nova Semente, bem confessando ser uma obra realizada por Deus, e ele apenas um instrumento para a sua realização. Cumpre dizer, devidamente reconhecida inclusive pelo pastor Ted Wilson em visita à sede há alguns anos.

Da mesma forma, o pastor Ted Wilson teve a postura admirável ao dizer sobre sua renovação para a nova administração da IASD mundial. Há de ser realizada pelos dons que Deus lhe deu, disse ele, confiando apenas no Criador para a condução boa, perfeita e agradável dos resultados que apresentarão frutos de transformação.

Assim são os líderes, em especial os que se formam pelo Espírito de Deus. São movidos por desafios, zeram o ponteiro do relógio quando ouvem o novo chamado e recomeçam como que do princípio, quando na verdade estão apenas mais maduros pelas reais experiências vividas com Deus, podendo alçar novos voos, contudo muito mais altos.

É o que os convido a meditar. Tornemo-nos líderes talhados pela compreensão e vivência da Palavra de Deus, avançando sempre, com foco na transformação pela palavra de Deus, positivos enquanto revestidos pelos frutos do Espírito e prontos para a ação em tudo o que fizermos para a honra e a glória do Eterno.

Saia e seja um vencedor. Como disse o pastor Ted Wilson, recentemente: “Levante-se e brilhe!”

Sadi – Um Peregrino da Palavra

29
ago

# Tecnologias e Transformações

DeusO que há em comum entre Bill Gates da Microsoft, Steve Jobs da Apple, Mark Zuckerberg do Facebook e Larry Page do Google? O mérito de aperfeiçoarem e explicarem sistemas operacionais e tecnologias que mudaram definitivamente o mundo à nossa volta. Eles pensaram, aperfeiçoaram e desenvolveram linguagens e instrumentos que tornaram a vida mais dinâmica.

O mundo se transformou depois deles. Aqui lanço mão do lema do Google para resumir os feitos desses homens: “organizar a informação mundial e torná-la universalmente acessível e útil”. Pois bem, com todo esse aparato, pense em que todos esses homens têm em comum com Ted Wilson, presidente reeleito em julho passado para liderar a Igreja Adventista Mundial.

O desafio. Aquelas mentes brilhantes foram movidas pelo desafio; de tornar o mundo melhor, de agregar valores, de abrir possibilidades antes impensadas, de transformar o velho mundo e seus hábitos em um conceito mais moderno e dinâmico.

Mesmo com uma gestão brilhante, razão pela qual recebeu noventa por cento dos votos, o pastor Ted Wilson admite ser desafiador estar novamente à frente da instituição. E é o que lhe move, o comum ao que moveu aqueles homens. O desafio de transformar o velho mundo; contudo, com uma significativa diferença, pois se apresenta por meio de hábitos e valores que não se tornam obsoletos. Ao contrário, quanto mais usados, mais se renovam.

Sua responsabilidade é imensa, pois ao contrário de tecnologias que devem ser testadas até que alcancem um bom desempenho, a tecnologia a serviço do Pr. Ted Wilson vem sem defeito de fábrica, sendo de última geração, a ser utilizado nos hardwares de nossas mentes, corpos e coração, com total proteção a vírus que destroem a alma.

As escrituras nas mãos do Pr. Ted Wilson representam a mais alta tecnologia a serviço da humanidade, pois como manual de instruções para o acesso ao Software, orientam-nos também como somente Ele pode transformar e modernizar o hardware que há em nós. Mentes brilhantes criam tecnologias que se tornam obsoletas em pouco tempo. O Eterno, bendito seja, é o Único capaz de apresentar um Software que moderniza e atualiza o hardware, tanto quanto fornece comunicação que edifica.

A tecnologia apresentada pelo Pastor Ted Wilson é infinitamente mais desafiadora e necessária. E mais, assim como aquelas mentes brilhantes incentivaram outras a segui-las, inovando e transformando o mundo à sua volta, o presidente da igreja adventista tem sobre si a responsabilidade de fazer discípulos à altura do Programador, para que transformados pela tecnologia que emana das escrituras, proporcionem a milhares de pessoas o acesso à essa maravilhosa conexão invisível, obtendo assim informação boa, perfeita e agradável.

Vida longa ao Pr. Ted Wilson e um Feliz sábado a todos, é o que deseja o Peregrino da Palavra

27
ago

Filhos

Marco Aurélio Brasil

Estávamos num grupo bem grande de pessoas e o psicólogo que conduzia a reunião pediu que cada um dissesse qual a frase que mais caracterizava sua infância; devíamos pensar na frase que mais ouvimos ou que poderia ser apontada como o slogan designativo daquele período. Não tive grandes dificuldades para achar a minha: “eu te amo” foi a frase que marcou minha infância, pois a ouvi dos lábios da minha mãe literalmente milhares de vezes, inclusive e talvez especialmente nos dias em que não fazia muito para merecer ouvir isso.

Como eu disse, era um grupo grande de pessoas. Na verdade, um grupo muito grande, havia talvez umas oitenta pessoas. O curioso foi que a minha frase foi uma das únicas de cunho positivo em todo o grupo. As frases mais comuns eram: “você não faz nada certo, mesmo”, “1, 2, 3!”, “você quer apanhar?” ou “quantas vezes eu vou ter que te dizer…?” Aquela reunião mexeu com muita gente; houve choro convulsivo e de uma forma ou outra todo mundo se sentiu um pouco mexido por dentro.

O que acontece com uma pessoa que não teve na infância a segurança de ser amada? Suspeito que não saibamos com exatidão e que o estrago seja maior do que podemos determinar. O ser humano é profundamente carente de um pai que lhe dê essa certeza, a certeza de ser aceito, de ser apreciado, a certeza de que sua companhia é agradável a ele. Precisamos sobretudo de sentir que nosso pai confia na gente.

Não fosse assim uma das promessas mais lindas feitas por Jesus não seria “não vos deixarei órfãos” (João 14:18), porque essa ausência do pai é muito cruel. Note que é justamente a validação do Pai o que Jesus recebe em Seu batismo – Ele ouve Deus dizer “este é meu filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3:17). Quantas vezes você ouviu isso?

Se poucas ou nenhuma, saiba que o estrago não é irremediável. Paulo dirige-se a Timóteo como “meu filho amado” (I Coríntios 4:17 e II Timóteo 1:2), o que John Eldredge comenta com a seguinte observação: “e você pode imaginar que isso significou muito para aquele jovem aprendiz”. Mas se você não tem um Paulo, capaz de lhe falar essas palavras de validação hoje, ainda resta uma saída: “e lhes serei Pai, e vocês me serão filhos”, está escrito em II Coríntios 6:18.

Deus está disposto a ser o pai que não tivemos. Ele sabe que às vezes um mau filho precisa que Ele saia correndo, o abrace e beije, seja vestido com sua capa e use seu anel e que um novilho seja morto para celebrar sua volta, tudo isso na frente das outras pessoas. O reconhecimento do Pai preenche os espaços vazios desse tipo de orfandade causada pelo silêncio ou pela rejeição dos pais terrenos.

O instrumento para isso é Jesus Cristo, enviado “para resgatar os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos… Portanto já não és mais escravo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro de Deus” (Gálatas 4:5 e 7).

Esta mensagem não está aqui escrita à toa. Deus está querendo dizer a você: “esse é meu filho amado. Eu adoro ele. Eu amo passar tempo com ele. Eu sinto a falta dele”.

26
ago

Agindo conforme a natureza

Gelson de Almeida Jr.

Gosto da história do monge que caminhava com seus discípulos e, ao passar sobre uma ponte, viu um escorpião se afogando no rio. Imediatamente entrou no rio e pegou o animal com as mãos, mas  este o picou e a dor fez com que o deixasse cair no rio e ser levado pela correnteza. Desesperado o monge pegou um galho e corre pela margem até alcançar o animal e o salvar. Satisfeito, voltou para a estrada e se juntou aos seus discípulos que estavam perplexos e penalizados com sua situação. Um deles lhe perguntou porque salvara um bicho como aquele, ruim e venenoso, disse ainda:

– Que se afogasse! Seria um a menos. Veja como ele retribuiu à sua ajuda. Picou a mão que o salvou. Não merecia a sua compaixão!

Calmamente o monge respondeu:

– Ele agiu segundo a sua natureza e eu conforme a minha.

Se fosse possível, muitos perguntariam a Cristo, antes de descer a este planeta afim de salvar a raça humana, porque vir aqui, um lugar de pecadores impenitentes e pessoas ingratas. Por que vir aqui se muitos não O aceitariam ou seguiriam Seus ensinamentos? Também O questionariam, após retornar aos Céus, se tinha valido a pena tanto sacrifício e sofrimento. Com certeza Ele pensaria em você, em mim e diria:

– Como valeu a pena!

Cristo fez o que fez porque esta é a Sua natureza, Ele é amor (I João: 4:8) e quando se ama se dá o melhor (João 3:16). Infelizmente nossa natureza humana não permite que demos resposta adequada a tão nobre gesto, mas se permitirmos que Ele execute em nós Sua obra transformadora, tudo será diferente, onde há ódio haverá amor, onde há ofensa haverá perdão, onde há mentira haverá a verdade, onde há trevas haverá luz, onde há guerra haverá paz, pois aqueles que estão em Cristo são uma nova criatura, as coisas velhas são passadas e tudo se faz novo (II Coríntios 5:17). Deixe a natureza do Mestre ser a sua e revolucione o mundo.

25
ago

Hamã, o m1to e euzinho

Marco Aurélio Brasil

Estudando a história de Ester esses dias, tive a minha atenção chamada para a curiosa reação de Hamã quando o rei pergunta para ele como ele poderia honrar alguém a quem o rei queria homenagear.

Contextualizando: estamos no auge da hegemonia persa sobre a mesopotâmia e além. O rei é Assuero, que os eruditos especulam que possa ser o Xerxes I dos livros de história e do filme 300 de Esparta. Hamã é um tipo de primeiro ministro, um sujeito tão destacado que as pessoas se ajoelham perante ele como se ele fosse um rei. Sabemos disso porque toda a história orbita em torno do ódio que ele tem pelo tio de Ester, Mordecai, que, talvez por razões religiosas, se recusa a se ajoelhar perante o grande Hamã.

Quando o rei lhe pergunta o que ele faria para homenagear muito um cara, Hamã pensa: ele só pode estar falando de mim!presumption

É esse o tipo de reação que surge naturalmente na cabeça da pessoa acostumada a ter o respeito e a veneração de todos.

O que me lembrou o dia e que estava no forum de Santo Amaro, aqui em São Paulo, esperando minha audiência começar e de repente vejo Rogério Ceni, o m1to, a alguns metros de mim. Toda a boa emoção que, como sãopaulino que sou, deveria estar grassando absoluta naquele momento foi mesclada por outro sentimento. Logo entendi que ele estava ali para a audiência do processo que havia movido contra uma repórter que ousara lhe fazer uma crítica a respeito de algo que ele supostamente teria feito para conseguir um aumento no SPFC. Como ela não tinha provas, foi arrastada aos tribunais, provavelmente perdeu a ação e tanto é que nunca mais ouvi falar dela.

O cara que alcança um sucesso estrondoso como ele acaba reagindo com virulência contra qualquer contrariedade. Aquele dia no forum foi apenas a confirmação da opinião meio generalizada de que Ceni é muito soberbo.

Ninguém se curva para mim ou me chama de mito, mas, guardadas as devidas proporções, corro o risco sério de processar errado o sucesso. Quando acerto, quando alguém reconhece que acertei, posso e devo festejar. O que não posso é acreditar que isso me joga para um nível superior aos que não fizeram o mesmo gol que eu e que daqui para frente eu devo ser tratado com prerrogativas. Assim, por longe que esteja de Hamãs e Cenis, estou em constante tentação de me igualar a eles no que têm de mais dessemelhante com o espírito de Jesus Cristo.

Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo (Filipenses 2:3).

 

24
ago

Oportunidade aproveitadas

Adriano Vargas

Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as pratica é como um homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha. Mateus 7:24 NVI

Há um sentimento muito comum de celebração quando alguém de origem humilde promove uma virada na sua vida, seja ela financeira, profissional ou mesmo familiar. Geralmente um ponto em comum observado por nós são as “oportunidades aproveitadas“. Lá estava a pessoa, quando ao se deparar com determinada oportunidade, a agarrou com “unhas e dentes” fazendo valer seu esforço. O resultado? Superação. A pessoa celebra onde a maioria fracassa. 

Em nossa vida espiritual acontece a mesma coisa. Nos versículos 24 e 27 da parábola das duas casas, ambas as pessoas ali representadas estavam diante da mesma oportunidade: ouvir as palavras de Jesus. Elas puderam receber as mesmas instruções, os mesmos mandamentos, as mesmas exortações. No entanto, a diferença não estava naquilo que recebiam, mas no quanto elas aproveitaram a oportunidade dada por Jesus a elas. Uma aproveitou; outra desperdiçou. 

Um grande passo rumo à maturidade é quando assumimos a responsabilidade sobre nossos atos, deixando para trás as desculpas que limitam nosso crescimento. Jesus é enfático ao ensinar a Seus discípulos que o sucesso na vida depende do quanto aproveitamos ou não as oportunidades dadas por Ele. 

23
ago

# Nascemos para o bom testemunho

Entrevista-com-Deus-Estreia-630x354Em uma entrevista com Deus, assim disse o Eterno a muitos de nós:

Então é assim que me respondes?  Não percebe que te chamei para ser testemunho de Meu  amor? Mas o que fazes? O que fazes com teu irmão de fé que ainda incorre em erros e tu, em erro mais grave, dele se afasta e ainda o julga em meu lugar? E aos que não me conhecem? Sente-se superior a eles, desprezando-os, como se tu fosse alguma coisa fora de Mim! E o teu testemunho quando alguém te ofende? Revidas movido pela  ira! Guardas rancor! Destilas palavras duras como se fosse um justo juiz. Não perdoas!

Porque tanta indiferença para com os valores que dei a meu filho para ensinar  ao mundo, a exemplo do Sermão da Montanha? Não temes a Mim, homem? Não conhece a palavra que dei a Ezequiel? Se ele não anunciasse ao homem quanto a seu mau caminho, e este morresse, Eu iria requerer dele aquela vida! Não sabe que haverei de cobrar de ti pelo que dei  a cuidar? Por que não vives  o  Meu  amor se te dizes convertido a Mim?

Sinto dizer, mas ages acreditando ser sábio e aprovada a tua decisão… mas não passas de um tolo: tanto não vives a Minha palavra quanto te comparas a Caim, sendo orgulhoso! Ou ainda a Adão, que ao invés de assumir seu erro, tentou justificar-se. Coloco amor e verdade diante de ti e o que escolhes? Desprezo e mentira!?

Não sabe que Meu julgamento é justo? Entende e arrepende-te, homem! Enquanto é tempo! Pois quero te abençoar com vida eterna! Sede um testemunho vivo, manso e humilde como o coração de Meu filho que entreguei por ti!

Pelo desvio do homem, por três vezes Eu o amaldiçoei, porque escolheu agir segundo suas vontades, contrariando o rumo que lhe dei  Sim! Por três vezes o  amaldiçoei! Por três vezes o abençoei! Ah! Cristo, meu filho! Tu perdoaste Pedro por três vezes, porquanto três vezes cantou o galo!

Porquanto fui obrigado a amaldiçoar Adão e expulsá-lo da terra que lhe dei, abençoei a humanidade quando chamei Abrão para que entrasse na terra que escolhi!

Porquanto amaldiçoei Caim pela morte do filho de seu pai, seu irmão a quem deveria amar e cuidar, abençoei a humanidade dando a Abraão o filho da promessa!

Porquanto amaldiçoei a humanidade, extinguindo-a pelo dilúvio, abençoei-a mais uma vez… através do descendente de Noé, Abrão, a quem mudei o nome para que se tornasse pai de nações!

Entende e sede de vez nova criatura! Volte-se  totalmente  para  mim! Seja meu atalaia! Segue por estas palavras, peregrino, e eu te darei bênção em lugar de maldição!

Sai agora e pensa no que te disse. pois minha Palavra não volta vazia.

Tenha uma semana abençoada diante de Deus, sendo um testemunho vivo de sua conversão a Ele.

Sadi – Um Peregrino da Palavra

 

 

22
ago

# Poder do testemunho

Testemunho e PoderO que faz o homem vir a Cristo quando nada conhece sobre as Escrituras? Seria a resposta, porventura, o anunciar do amor de Deus, sobrenatural ao que conhecemos entre os homens, impactando a muitos que o ouvem? Ou ainda, seria por acaso quando um sacerdote fale desse amor pela perspectiva do evangelho, testemunho da expressão maior do amor de Deus pela humanidade, efetivado por meio de Seu santo filho, Jesus Cristo?

Nesse conduzir da obra pastoral, de fato, muitos que vêm a primeira vez a uma igreja e ouvem essas palavras, incomuns ao seu dia a dia, dificilmente deixam de ser tocados por elas. Não apenas porque ouvem sobre um amor do qual não estejam acostumados, mas, sobretudo porque à Palavra nada se possa comparar, pois penetra mente e corpo ao ponto de dividir alma e espírito, julgando de imediato pensamentos e intenções do coração. Nada é tão eficaz como ela.

Contudo, há algo que se sobressai como se escritura viva fosse, expressão maior do resultado de uma vida transformada, sendo o próprio reflexo da Palavra: o testemunho de um homem convertido.

O comportamento de um novo homem, transformado pela Palavra, pode muito em seus efeitos, assim como é a oração de um justo. Um novo homem surpreende aos de sua casa e não passa despercebido diante dos olhos de um estranho, porquanto expressa suas atitudes e gestos de forma que o tornam diferenciado do que se encontra todos os dias nas ruas, nas casas e, mesmo nas igrejas.

As palavras e os gestos de um novo homem exalam os perfumes do amor, da alegria e da paz; ele demonstra paciência com o rude, amabilidade com o ignorante, bondade com os que sofrem e, sobretudo fidelidade à fonte que o sustenta a dignidade de seus atos, pois tudo que é e vive, vem do Pai, a quem tudo controla e distribui.

O novo homem tem brilho nos olhos, seu coração se purifica a cada dia, sua mente pensa apenas em como servir a Cristo inteiramente. Sua mente tem a compreensão do mundo que sábio algum poderá enxergar ou compreender se não viver pelo Espírito. Ele é um vaso nas mãos do Oleiro, permitindo-se a melhor forma segundo o Artesão, pois compreende que a vida nunca foi sua de fato.

O testemunho de um homem transformado, sendo, portanto, um servo justo e temente a Deus, com muitas características mais, é tão poderoso que sua vida é o melhor sermão que poderia escrever um pastor. É, entre os homens, a melhor expressão dos céus até que Jesus volte e ao Reino Eterno sejam acrescentados aos que ouviram a palavra, acreditaram no testemunho e, enfim, entregaram a vida nas mãos de Deus, guardando os mandamentos e a fé em Jesus.

Bendito o que vem em nome do Senhor! Bendito seja o testemunho de um justo, de um pastor que tem seu coração totalmente alinhado a Cristo. Aleluia!

Sadi – O Peregrino da Palavra

20
ago

Carência

Marco Aurélio Brasil

Quando explodiu no noticiário a história do austríaco que manteve a própria filha em cativeiro num porão sem janelas durante 24 anos, tendo com ela 7 filhos, enquanto conduzia uma vida aparentemente normal do lado de fora, o principal jornal daquele país publicou um editorial afirmando, atônito, que havia alguma coisa de muito errada nessa sociedade.

É claro que há.

Uma pena que precisem aparecer casos extremos como este para que nos apercebamos disso.

A sociedade laica, a sociedade sem Deus, é uma novidade na História. Até bem pouco tempo, a espiritualidade sempre ocupou um papel preponderante na vida de todas as sociedades, com raríssimas exceções. Os sacerdotes foram, na maior parte do tempo, os líderes máximos dessas sociedades. As pessoas viviam sob o medo de desagradar à divindade. Esse papel central da religião, contudo, produziu frutos nefastos. Durante quase todo o tempo, a religião foi um pretexto para dominação do homem pelo homem.

Então chegou um momento em que a ciência pareceu substituir lindamente a religião, e Deus foi defenestrado com júbilo, primeiro pelos mais intelectualizados, em seguida por boa parte da sociedade ocidental.

Passado meio século desse estado de coisas instalado assim, universalmente, vem um homem completamente doente nos lembrar que a ciência não satisfez nossos anseios mais profundos. Continuamos incompletos!

Philip Yancey, em um de seus livros, nota que antigamente, quando ele era um garoto pobre do sul dos Estados Unidos, sua igreja gostava de cantar hinos que falavam que éramos forasteiros nessa terra estranha, aguardando o dia em que voltaríamos para o lar. Nos últimos tempos, contudo, esses hinos desapareceram. As pessoas viviam em casas confortáveis, com aquecimento impecável, dirigiam carros automáticos e tinham tudo do bom e do melhor. Então, nada mais natural do que cantarem “este mundo é de meu Deus”.

Estamos bem aqui. Perdemos a noção de que algo nos falta, mesmo nós, os que ainda cultivamos algo de espiritual. Não dá pra esconder nossa carência por muito tempo. O melhor mesmo seria estar totalmente conscientes dela.

Precisamos desesperadamente da companhia de nosso Salvador. A notícia boa é que Se relacionar conosco é o primeiro de Seus desejos.

19
ago

Se a tempestade vier…

Gelson de Almeida Jr.

A palavra tempestade vem do latim ‘tempestate’ e significa tormenta, agitação. Normalmente dura no máximo algumas dezenas de minutos e é acompanhada de ventos e chuvas fortes, raios , relâmpagos e trovões. Em nossa vida, de forma figurada, vez por outra passamos por tempestades. São eventos rápidos, mas que, em muitos casos, deixam marcas duradouras. Podem surgir do nada ou serem “anunciados”.

O capítulo 3 do livro de Daniel relata o momento em que três jovens hebreus são lançados na fornalha por causa de sua fé e fidelidade ao Altíssimo. Dias antes tudo estava sob controle em sua vida, moravam na capital do maior império da época e tinham acesso ao palácio real, até que o rei resolveu se auto-homenagear com uma estátua em tamanho colossal, diante da qual, sob pena de morte, todos deveriam se prostrar. Como não se prostraram os jovens hebreus foram condenados à morte na fornalha. A tempestade chegara em sua vida de uma forma jamais imaginada.

Deus poderia ter providenciado para que não estivessem presentes naquele dia, podia ter impedido que fossem lançados na fornalha, mas não fez nada disso. Deixou que fossem lançados na fornalha, mas não os abandonou, pelo contrário, desceu do Seu trono e se colocou dentro da fornalha ao lados daqueles jovens.

Do mesmo modo que agiu no passado o Eterno age em nossa vida. Portanto, quando a tempestade se abater sobre você, não perca a fé e a confiança nEle. Ele poderá deixar que a tempestade se abata sobre você, mas não deixará que passe sozinho por ela, assim como esteve ao lado de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego estará ao seu lado também, pois Ele nunca abandona um filho Seu.

1 2 4