Monthly Archive: fevereiro 2015

28
fev

# Luz

candeiaSe há um testemunho maravilhoso com que nos deparamos quando conhecemos um verdadeiro discípulo de Cristo, é estarmos diante de alguém capaz de amar tanto as revelações da Palavra que as internaliza em sua vida, transformando-se a olhos vistos. Muitos diriam: “Esta pessoa é uma bênção”. E é exatamente isso. Uma bênção porque se permite transformar-se, contudo, maior ainda, quando dessa forma influencia positivamente o mundo à sua volta.

Converter-se é transformar-se, é receber luz para resplandecer, e é, sobretudo, se permitir conjugar-se lâmpada para os que estejam na escuridão. Há uma sabedoria judaica que interpreta as palavras do Eterno quanto ao uso do melhor azeite para a menorá no seguinte sentido: “Não é para mim que acendem a lâmpada, mas para as pessoas que ainda estejam na escuridão”.

A palavra da nova aliança revela o magnífico ensinamento do Mestre enquanto o registra afirmando que ninguém acende uma candeia e a esconde. Pelo contrário, coloca-a em lugar apropriado para que possa iluminar a todos os que estão na casa. Portanto, assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus. Palavras de vida eterna!

A Palavra nos guia de tal forma segura através dessa existência obscura e tortuosa que é o mundo, que faz necessário entendermos o quão tamanho relacionamento requer de nós um aprofundamento consistente em sua sabedoria, passando da letra para o espírito, vivenciando-a sobremaneira, internalizando seus mandamentos para que resplandeçam. O testemunho depende disso. Nós dependemos disso para crescermos.

Cumprir o mandamento é bênção, afinal, afirmou o Eterno: “Prestem atenção! Hoje estou pondo diante de vocês a bênção e a maldição. Vocês terão bênção se obedecerem aos mandamentos do Senhor”. Muito bem, contudo bênção maior diante dos olhos de Deus é fazermos resplandecer essa luz que dos mandamentos recebemos e por ela somos transformados.  A senhora White tem um depoimento em seus testemunhos que diz: “Todos exercemos uma influência que fala a favor da verdade ou contra ela. Desejo levar comigo as inconfundíveis evidências de que sou uma discípula de Cristo”.

Que a luz do Eterno, bendito seja o Seu nome, resplandeça em nós, alcançando a quem dela precise.

Feliz sábado!

Sadi – Um Peregrino da Palavra

27
fev

Comunicação

Série: Vencedores

Desde sua criação, há mais de 2.700 anos, os Jogos Olímpicos assumiram um papel marcante na história humana. Capazes de interromper guerras, apaziguar ânimos e inspirar gerações esses jogos se destacam por representar a capacidade de união e respeito, além de representar a constante busca humana pela superação. Na antiguidade, a superação alcançada pelos atletas os levava ao status de heróis, e o reconhecimento por sua dedicação e esforço era recompensado com a entrega de uma coroa, presentes e a promessa de uma vida nova. Repletos de histórias vitoriosas e de histórias de fracassos, os Jogos Olímpicos contam grandes lições de vida que trazem inspiração para nossa jornada aqui nesta terra. Esperamos você e sua família entre nós.

27
fev

Comunicação

Série: Em Obras

Um novo ano está diante de nós. Com ele surgem novos sonhos, propósitos e consequentemente novos desafios. Para alcançar as vitórias que buscamos precisamos de uma fundação segura sobre a qual podemos “construir” nossa vida. Mas em grande parte, tudo aquilo que temos, fazemos ou desejamos é—de uma forma ou outra—afetado pela perspectiva que temos daquilo que está ao nosso redor. Como você vê sua existência? Como você vê sua família? Seus amigos? Seu emprego? Seu dinheiro? Afinal, como você vê Deus? Tudo depende de sua perspectiva. Cabe a você decidir ser dominado pela ansiedade e preocupação ou recomeçar um novo ano com alegria e confiança. Quer saber como? Venha e experimente por você mesmo como reconstruir sua vida com fé e esperança.

26
fev

Vamos orar pelos decapitadores

Marco Aurélio Brasil

Enquanto assistimos horrorizados a decapitação de 21 cristãos pelo Estado islâmico, a radicalidade do mandamento de Jesus se impõe.

Orar pelas famílias daqueles homens não é difícil. decapitação

Orar genericamente pelas paz mundial não é difícil.

Orar para que o radicalismo islâmico seja contido não é difícil.

Orar pelos decapitadores. Isso é difícil.

O que é mais radical? O Estado Islâmico ou Jesus Cristo? Jesus Cristo, mil vezes.

Ele diz: pegue o amor e dê a ele um sentido absurdamente completo.

Ele diz: pegue meu exemplo e o siga.

Respire fundo como eu faço agora e junte-se a mim na oração mais radicalmente difícil de fazer.

24
fev

O teste do discipulado, questão 1

Marco Aurélio Brasil

Você e eu estávamos ocupados em pescar. Nossa maior ambição era pegar um peixe bem grande, que nos matasse a fome daquele dia. Então veio Cristo e disse “segue-me”.

Para nos conduzir a uma realidade sem mais fome.
Para uma pescaria superior.
E, quando fomos mergulhados naquela água, dissemos perante todo o Universo um sonoro “sim”! Sim, eu te seguirei.
Mas o “segue-me” dEle não é igual o “segue-me” de um perfil do Twitter. Não se trata de acompanhar o que outra pessoa está fazendo só pela curiosidade de conhecer.
O “segue-me” de Cristo implica em pisar os pés onde Ele pisou.
Implica em se tornar mais parecido com Ele a cada dia.
“Somos moldados por aquilo que amamos”, dizia Goethe.
Fingir seguir a Cristo sem amá-lo redunda em não semelhança com Ele.
Então, havendo palmilhado esse caminho por tanto tempo, convém fazer um pequeno teste do discipulado. Uma prova. Um exame. Algo que ao final diga quão bom discípulo você tem sido. O quanto você tem deixado essa decisão de O seguir transformar você. O quanto pisar nas pegadas dEle tem conduzido você a uma pescaria superior, o quanto ela tem lançado luzes sobre a pescaria temporal, o quanto você tem desfrutado do fato de ter eleito o melhor mestre do mundo como seu mestre. following jesus
Vamos pensar em características dEle para ver se as encontramos reproduzidas em nós mesmos.
E a primeira é esta: “…tornando-se obediente até a morte” (Filipenses 2:8).
A primeira questão do teste é: seguir a Cristo tem feito você mais obediente? Você é hoje mais obediente do que foi há um ou dois anos? Ou as ordens dEle perderam o sentido e o imperativo? Ou você apôs aos mandamentos dEle senões e apartes? Ou você se contentou em usar uma capa parecida com a dEle e parou de prestar atenção às coisas que Ele ordenou fazer?
Oswald Chambers disse que se você não entende a Bíblia, o melhor a fazer é tentar a obediência. Um pouco de obediência faz mais pela compreensão das Escrituras do que mil tratados de teologia.
É importante, contudo, separar o que o Mestre mandou do que os homens disseram que Ele mandou. O quão obediente você tem sido aos mandamentos diretos dEle, do tipo ame seu semelhante seja ele quem for, tenha ele feito o que quer que tenha feito? O quão obediente você tem sido ao mandamento dEle para obedecer os mandamentos do Pai? O quanto você tem sido obediente ao comando para permanecer nEle, conectado a Ele?
Ele está debruçado sobre você agora. Sua voz é suave, mas cheia de autoridade. E o que Ele diz ao seu ouvido é, mais uma vez: “segue-me”.
Feliz sábado, @migos!
Marco Aurelio Brasil, 20/02/15

23
fev

É outro nível!

Adriano Vargas

Parem de lutar! Saibam que eu sou Deus! Serei exaltado entre as nações, serei exaltado na terra”. (‭Salmos‬ ‭46‬:‭10‬ NVI)

Como vocês sabem o termo santo no texto bíblico é sinônimo de “separado“. A origem da palavra pode ser uma antiga expressão usada para o verbo “cortar”. Ser santo, dessa forma, é ser um corte em um nível acima do usual, é ser singular, raro… O que nos deixa temerosos não põe medo a ele. O que nos aflige não aflige a ele.

É verdade que minha experiência na Amazônia foi o que transformou minha concepção de “muita água”, de “rio largo”, de “chuva forte”. E por incrível que pareça fiquei cinco anos nesse lugar e não aprendi a nadar. Mas passei o tempo necessário para saber o valor de estar em terra firme…

Você não vê a outra margem. Não vê outros barcos no meio do Rio Amazonas. Você procura um objeto não alterado pelo vento ou pelas ondulações… É o que acontece? Você não encontra, tudo o que quer é terra firme.

No momento em que fixa seu olhar no Eterno, você mira “um corte acima” de qualquer tormenta oferecida pela vida… Lá há paz e segurança.

Você se lembra daquela canção “O barquinho”, uma das mais famosas da bossa nova? É linda, descreve um cenário maravilhoso, mas até mesmo para o barquinho que inspirou a música precisou em algum momento voltar à terra firme. Da mesma maneira, nosso porto seguro é o Cristo.

22
fev

# Discernimentos

1770223Nestes dias ouvi uma família de amigos dividida por uma questão, no mínimo, polêmica.  Hospedados em um resort, cruzaram seu caminho com o de uma pessoa que após uma conversa, dizia professar sua crença em uma religião afro. Durante o jantar começou a celeuma. Uns se diziam com medo enquanto outros a defenderam, dizendo que se tratava de uma boa pessoa e que a religião nada tinha de problemático.

Apenas prestando a atenção nas opiniões, longe de querer me meter no assunto, afinal nem mesmo tinha conhecido a pessoa ou ouvido suas razões, sem querer fazer qualquer julgamento de valor lancei mão da máxima do apóstolo João apenas para sentir as reações e fazê-los pensar. Foi quando disse: Maior é o que está em nós do que o que está no mundo.

Mesmo os que conhecem a passagem não entenderam completamente o que eu quis dizer com ela. Nossa fé baseia-se na vinda do Messias anunciada pelas escrituras, e em sua ressurreição que ocorreu após esclarecer em tempo oportuno fatos que os homens, de tempos em tempos, costumam distorcer com facilidade, aplicando doutrinas humanas para sua melhor compreensão quanto à realidade dos céus.

Isso é um fato, contudo, dizer – maior é o que está em nós – não é tão somente porque o conhecemos, tanto quanto à sua sã doutrina que a nenhuma outra se compara, e porque a ambos recebemos como razão de nossas vidas, mas, sobretudo porque ao o confessarmos filho de Deus, o fazemos pela simples razão de que alcançamos a compreensão do amor de Deus, ainda que uma pequena parte dele.

Fica aqui a razão da transformação de nossas vidas segundo os propósitos do Eterno, pois a todos Ele ama e nos quer ao Seu lado. Esse o motivo único de toda a obra de redenção que está em curso. Deixemos a Ele todo o julgamento e nos concentremos em Seu amor e nas primícias de Sua palavra, esta que expressa Sua vontade que é boa, perfeita e agradável.

Sadi – Um Peregrino da Palavra

21
fev

# Sabedoria e Esperança

368095_priroda_les_opushka.-zayac_abris_1600x1139Maravilhosas são as coisas a nossa volta que o Senhor projetou e realizou. É uma benção as vivermos, deleitando-nos com o que esteja ao nosso alcance ver, tocar, sentir. Contudo, é engraçado como em muitas situações vivemos desatentos, como que desperdiçando a simples contemplação da natureza que poderia, no mínimo, nos fornecer informações importantes sobre o equilíbrio com que o Eterno a constituiu.

Dito isto, me pergunto: um cego é capaz de deleitar-se com as maravilhas do Eterno? É claro que sim. Perfeitamente possível quando colocados os outros sentidos à disposição dessa contemplação, podendo vislumbrar essências que os olhos destreinados seriam incapazes de enxergar.

Da mesma forma que poucos de nós consegue colocar os sentidos para capturar a essência, porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, por isso a misericórdia, mas por causa do que a sujeitou, devemos nos colocar por inteiro na obra, agindo pela fé, pois a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus.

Por tudo, saibamos, em esperança fomos salvos, portanto, assim como nossos olhos devem se voltar para o equilíbrio intrínseco que há na natureza, esperemos com paciência o que não vemos, mais esperamos, afinal, a esperança que se vê não é esperança. Há sabedoria nesse rumo. Quem lê, entenda.

Shabbat Shalom

Sadi – Um Peregrino da Palavra

19
fev

Revelação

Marco Aurélio Brasil

Você está escondido aí?

Tentando não ser notado?apareça

Saiba que “a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus” (Romanos 8:19).

Outras traduções trazem “o universo” no lugar de “a criação”. Existe uma imensa plateia invisível, e essa plateia alimenta uma expectativa, uma expectativa ardente. Eles não aguentam mais esperar.

O que eles querem ver?

Os filhos de Deus agirem como tais.

Os filhos de Deus agindo como seu Pai.

Eles querem ver os filhos de Deus se revelando num mundo caótico, egoísta, escuro e perdido.

 

1 2 3