Monthly Archive: outubro 2014

30
out

O que a benção exige de mim

Marco Aurélio Brasil

Em Lucas 17 lemos sobre o dia em que um grupo de dez leprosos se encontrou com Jesus. Os leprosos eram alienados sociais, não podiam conviver com o restante da sociedade por causa de sua moléstia altamente contagiosa. Era uma doença dolorida e triste, sem cura naqueles tempos.

Eles ficaram de longe e gritaram para que Jesus os curasse. A lei dizia que alguém só poderia ser reintegrado ao convívio da sociedade se um sacerdote os analisasse e não encontrasse nenhum outro sinal de lepra. Embora a doença fosse incurável, poderia ser que a pessoa fosse expulsa da sociedade por outra doença de pele qualquer, por isso havia essa regra. Jesus então ordenou que eles fossem procurar o sacerdote para se mostrar.

Aqueles dez homens mostraram fé. Eles não esperaram para se ver curados para só então tomar a direção apontada por Jesus. Começaram imediatamente a caminhar na direção da sinagoga. Foi  no caminho que notaram que estavam curados.

O detalhe curioso da  história é que, quando isso aconteceu, decerto em meio aos gritos de alegria, aos abraços e pulos por entre lágrimas de felicidade, um deles deu meia volta. Um estrangeiro. Antes de ser reintegrado à sociedade, de poder ir para casa e poder abraçar seus filhos outra vez, ele precisava agradecer. Não podia perder a oportunidade de não encontrar mais Jesus.

Jesus perguntou: “Não foram limpos os dez? E os nove, onde estão? Não se achou quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te e vai; a tua fé te salvou” (Lucas 17:17-19).

A fé dos nove rendeu-lhes a cura. A fé do estrangeiro rendeu a cura E a salvação.

As bençãos que Deus nos dá demandam primeiramente a tomada de uma atitude para com Ele. Antes de sair simplesmente aproveitando dessas bençãos, precisamos parar e pensar o que ela está exigindo de nós. Que tipo de atitude é condizente com a recepção de um tesouro tão fantástico.

É um ato de fé não abrir o presente logo e sair usando. Fé que salva.

Pense nas bençãos que tem recebido. Pense na resposta que tem dado ao doador dessas dádivas.

29
out

Acabou a Eleição, e agora?

Gelson de Almeida Jr.

Acabou a eleição presidencial em nosso país. A mais acirrada da história de nossa República, e a que teve a campanha mais sórdida e belicosa. Confesso que nunca vi um país dividido em dois blocos tão díspares e antagônicos de forma tão clara. Pior que a campanha entre os políticos foi a atitude dos defensores de cada lado. As redes sociais ainda estão inundadas de impropérios, frases xenófobas e desrespeito à opinião alheia, mesmo por aqueles que se declaram cristãos. Parece que esta eleição revelou o lado mais obscuro da maioria das pessoas sem que disso se apercebessem.

Seu candidato ganhou, parabéns, se perdeu, conforme-se, em toda disputa existem vitoriosos e derrotados, a vida segue. Por quê fazer o jogo do inimigo e tratar de forma antiética e anticristã os que estiveram do lado contrário na campanha? Eles não são seus inimigos, como você, foram criados à imagem e semelhança de Deus e colocados neste mundo com o propósito de testemunhar do amor do Pai, se falharam paciência. O verdadeiro e único inimigo, aquele que realmente deve ser execrado e odiado é o que tem trazido discórdia e rancor no Universo há milênios. Como subversor de nossa alma busca ocasião para arruinar todos os candidatos ao Reino dos Céus.

Na eleição presidencial Dilma Roussef derrotou Aécio Neves, mas na eleição para o Reino dos Céus a derrota ocorreu nos dois lados. Tenho certeza que na eternidade veremos eleitores de Dilma e de Aécio, porquê ofender e brigar então? Felizmente, neste aspecto, ainda existe o Segundo Turno, ocasião onde poderemos rever conceitos, atitudes, pensamentos e fazer uma boa “campanha”. Se utilizarmos as palavras, a roupa (Sua Justiça) e as atitudes do Pai seremos vencedores. Não permita que algo tão banal e corriqueiro como uma eleição presidencial o faça perder o rumo no caminho para a eternidade. Ame o seu próximo, ore por ele, pois, como você, é um candidato ao Reino dos Céus.

28
out

O outro reino

Marco Aurélio Brasil

Mas o que o me interessa mais é o outro reino.

Aquele sobre o qual Jesus falava: “Desde então Jesus começou a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus” (Mat. 4:17). Aquele que era o tema central de Suas parábolas (“o reino dos céus é semelhante a…”). Aquele que está no epicentro da pregação que será o último grande acontecimento da história deste mundo e que colocará um ponto final na sucessão de pequenos reinos, como esse do PT aí: “Este evangelho DO REINO será pregado a toda nação, língua e povo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim” (Mat, 24:14).
jesus-is-my-kingE, por me interessar o reino e o que ele realmente significa, me intriga que Jesus tenha dito tão claramente: “O reino de Deus está entre vocês” (Lucas 17:21). Mesmo se considerarmos outras versões, em que a tradução é “O reino de Deus estão dentro de vós”, está instalada uma dúvida. Sim, porque somos comandados pelo mesmo Jesus, na oração do Pai nosso, a orar “venha a nós o vosso reino”.
Por que eu tenho que pedir a vinda do reino? Ele já não está em mim ou perto de mim?
Penso que a chave para solucionar essa questão esteja na forma como Mateus resumia o discurso de Jesus lá no começo de Seu ministério público, e que ecoava o mesmo discurso de João Batista: “arrependei-vos”. Porque o reino está próximo. Porque, para entrar no reino, arrependimento é uma condição sine qua non. Porque o pedido “venha a nós o vosso reino” é seguido de perto por outro pedido, mais duro de fazer: “seja feita a Sua vontade”.
O reino de Deus, amigos, o ambiente em que Ele realmente reina, aquele no qual podemos entrar já agora, porque está perto, está acessível, está à mão, é o reino em que a vontade dEle é feita.
A mensagem que será pregada em testemunho ao mundo, porque vivida na prática, é a mensagem de que é possível – e altamente recomendável – obedecer a Deus, de que é possível arrepender-se de nossas ilusões de autonomia e autodeterminação.
A porta do reino de Deus está escancarada para você. Trata-se do reino que está instalado em versão beta, mas que não passará, será eterno. Trata-se do reino em que a paz mais sublime impera e onde toda lágrima será enxugada definitivamente. O único bilhete para entrar nele que está sendo requerido de você é orar: meu Deus, me ajuda a querer realmente que a tua vontade seja feita, tanto na Terra como no Céu.
 

27
out

Só um pedido

Adriano Vargas

Eu amo, Senhor, o lugar da tua habitação, onde a tua glória habita. Salmo 26:8

Se você pudesse pedir uma só coisa a Deus, o que seria?

Não há melhor lugar para repousar nosso espírito do que a grande morada de Deus. “Uma coisa pedi ao Senhor; o que procuro: que eu possa viver na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do Senhor e buscar sua orientação no seu templo. Salmo 27:4-5

Davi nos conta sua escolha. Seu maior desejo é viver na casa do Senhor. Eu destaquei a palavra viver porque é preciso prestar atenção no que ela significa. Davi não quer apenas conversar, não se trata de tomar uma xícara de café na mesa da cozinha. Nem mesmo um jantar, um almoço ou ainda passar algumas noites no lar de Deus. Seu profundo desejo é mudar-se para lá com o Senhor… Eternamente. Ele quer seu próprio quarto… Para Sempre. Davi não quer passar férias na casa de Deus. Seu plano é envelhecer ali. Ele não deseja viver um tempo, mas fazer da morada de Deus sua habitação para o resto de seus dias.

Pense no almoço em família das tardes de domingo, ou naquele encontro agradável na casa dos amigos queridos. Por maior que seja o prazer que esses momentos proporcionam, nada se compara à alegria de ter em Deus sua morada.

22
out

Horário de Verão

Gelson de Almeida Jr.

Dias atrás começou em nosso país o horário de verão, ocasião em que parte do mesmo adianta o  relógio em uma hora, para que se aproveite o máximo possível a parte clara do dia, que é maior nesta época do ano. Embora meu organismo seja totalmente contrário a ele muitos especialistas dizem ser bom pela economia que proporciona.

Pensando no horário de verão, nos dias mais longos e nas noites mais curtas, lembrei de uma promessa bíblica que muito me intrigava quando criança: “E a cidade não necessita de sol nem de lua… porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada” (Apocalipse 21:23). Sempre perguntava ao meu pai como seria isto de não haver sol e lua, dia e noite, na Nova Terra e ele, com muita paciência, me dizia: “Filho lá não precisaremos dormir, pois não sentiremos cansaço, isso é coisa do pecado e lá tudo será perfeito”. Minha mente finita ainda tem dificuldade em imaginar um lugar onde sempre haverá uma Luz muito mais forte que a do Sol, mas como confio no meu Deus e em tudo que Ele faz, não vejo a hora de desfrutar dessa Luz e do calor que irradiará, esse sim, o verdadeiro horário de verão.

Em nosso mundo atual temos momentos de alegria, mas na Nova Terra a alegria será perene, preocupação, dor, sofrimento e tristeza serão completamente abolidos desse lugar (Apocalipse 21:4). Não importa o tamanho de sua tristeza, um dia ela poderá acabará, não importa o tamanho de sua alegria e felicidade, ela poderão chegar a níveis inimagináveis. Tudo depende de você e da escolha que fizer. Esse “horário de verão” está próximo. Acerte o relógio de sua vida, escolha o Sol da Justiça e isto, e muito mais, lhe será acrescentado.

21
out

O método Brainerd

Marco Aurélio Brasil

Qualquer grupo cristão que não esteja preocupado primeira e primordialmente em fazer discípulos está descumprindo a missão que foi dada pelo Mestre e os efeitos disso são devastadores. Essa foi a primeira grande conclusão que tirei do “Discipleship BluePrint”, uma espécie de treinamento fornecido pela equipe do pr. Robby Gallaty, da Brainerd Baptist Church, em Chattanooga, no estado americano do Tennessee, sobre como implementar uma estratégia de discipulado na igreja, e que aconteceu há alguns dias.
Brainerd
Robby, um sujeito ainda novo (na casa dos 30) com cerca de dois metros de altura e físico de vilão sarado de filme de heróis, era viciado em cocaína quando foi resgatado por Cristo. Hoje pastoreia uma igreja vibrante com 3.500 membros e tributa essa transformação ao discipulado, essa preocupação com não apenas fazer membros de igreja, mas de formar discípulos. Alguém não se limitou a lhe dar estudos bíblicos, mas a acompanhá-lo semanalmente por anos até que ele estivesse apto a fazer o mesmo por outros. Não é por acaso que dentre os líderes de sua igreja existem outros ex-dependentes químicos e até mesmo ex-presidiários que hoje desenvolvem um ministério fantástico no bairro em que estão e também em prisões.
O modelo de discipulado que eles defendem é aquele no qual cristãos mais maduros se reúnem semanalmente com no máximo 4 outras pessoas para servir-lhes de mentor, de discipulador. O número de 3 a 5 pessoas é inspirado naquele grupo de discípulos mais próximo de Jesus, Tiago, João e Pedro, que Ele permitia participar de coisas que vedava até mesmo aos demais dos doze. Além dos encontros semanais, duas iniciativas ocupam um lugar de destaque no sistema de discipulado deles: memorização de textos bíblicos (de preferência capítulos inteiros) e formação de um diário.
A arte de memorizar há muito que se perdeu em razão das facilidades do mundo digital e com isso deixamos de experimentar os impactantes benefícios para nossa vida espiritual de ter um texto sendo repetido mentalmente dezenas de vezes. A Bíblia em áudio no carro, cartõezinhos com o texto à mão e diversas outras iniciativas podem fazer mais por nossa vida espiritual do que o consumo de duzentos sermões.
O diário é uma maneira de registrar (e com isso assimilar melhor) aquilo que foi lido nos momentos de leitura diária da Bíblia. Cada verso que chamou a atenção é destacado ali, com um comentário sobre dúvidas ou insights e o registro de decisões tomadas a partir do que se apreendeu. Sem isso, as chances de tudo o que você esteve lendo se dissipar nos minutos imediatamente seguintes é enorme.
Nas reuniões de discipulado, além de discutirem os diários de cada um da semana e de trocarem os textos decorados, os discípulos oram uns pelos outros e se fortalecem.
A essas alturas você acumulou uma série de desculpas ou de justificativas para não colocar nada disso em prática. Que tal, antes de deixar isto aqui de lado e voltar à luta, fazer uma oração e perguntar a Deus se há algo nisso que Ele realmente deseja para sua vida? Quem sabe esta não é a verdadeira luta que você deve lutar?
Leia mais sobre o método Brainerd em http://replicateministries.org/about/

1 2 4