Monthly Archive: julho 2014

31
jul

Ele fará

Marco Aurélio Brasil

Se você leva muitas bordoadas da vida, tantas que parece que é isso mesmo, que a vida se limita a tentar levar o menos possível, que as bordoadas são parte da paisagem e nosso destino fatal, saiba que essa ordem de coisas é temporária. Chegará um dia em que as bordoadas cessarão.

Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.  I Pedro 5:6 e 7

A seu tempo, no tempo que Ele conhece ser o melhor, Ele o exaltará. Porque Ele cuida de você. Não deixe a atual ordem de coisas o enganar quanto a isso. Os ponteiros do relógio não param.

29
jul

Mocinhos X bandidos

Marco Aurélio Brasil

Enquanto as bombas uma vez mais explodem em Gaza e minha timeline do Facebook se pinta de posts pró Israel ou pró Palestina (uma postura que particularmente me soa tão disparatada como defender incondicionalmente as cores de PT ou PSDB, já que não há nesse ringue um mocinho X um bandido, mas no máximo um bandido menos pior que o outro), me incomoda o pano de fundo do conflito.

Você pode acreditar que a situação na Chechênia ou na Ucrânia terão solução mais cedo ou mais tarde. Você pode alimentar a esperança de que as tensões étnicas nos Bálcãs, em Ruanda ou na Cachemira vão ter fim um dia, afinal, a coisa parece ter se apaziguado um pouco em lugares parecidos, como na Irlanda e na Espanha; mas a questão do Oriente Médio parece sem remédio algum. E a culpa disso parece ser a religião.
Eu disse que parece ser porque temos explicações alternativas, uma delas exatamente na Bíblia, mas aos olhos do homem secularizado de nosso século a tensão eterna entre Israel e seus primos só é o que é porque a religião de cada um dos povos inocula no inconsciente coletivo o direito sagrado a um certo torrão de terra e a missão igualmente sagrada de exterminar os demais postulantes ao mesmo torrão. É pelo dogma da eleição divina que a guerra se sustém. É por se acreditar o povo escolhido que cada nova geração de um lado e de outro é alimentada com ódio ou com um orgulho excludente.
E aí a coisa vira para o meu lado. Afinal de contas, eu também me acredito pertencente ao povo escolhido. Pior, eu me considero pertencente ao povo realmente escolhido. E vejo no comportamento de alguns meus pares a mesma postura excludente ou um orgulho isolacionista da mesma natureza desse outro que me é mostrado a cada noticiário internacional desde que me entendo por gente.
Quem me escolheu, contudo, disse que se alguém me batesse numa face eu deveria oferecer a outra e se me pedissem o casaco eu deveria perguntar se não queria a camisa também. Quem me escolheu, me escolheu para ser mil vezes mais radical que os radicais do Hamas ou de Israel.Ele me chamou para ser um serviçal radical. Dos meus pares? Não, de qualquer um. Qualquer um que estiver próximo. Quem me chamou disse que esse comportamento radical tornaria exposta a estupidez das reivindicações de qualquer natureza. “Porque assim é a vontade de Deus, que, fazendo o bem, façais emudecer a ignorância dos homens insensatos” (I Pedro 2:15).
Você pode ver as crianças e mulheres inocentes exterminadas em Gaza e tentar ver quem está certo e quem está errado na história, mas eu hoje só consigo olhar para aquelas cenas horríveis e ver o quanto eu mesmo estou errado.

28
jul

Tenho uma intuição, tenho esperança, tenho fé

Adriano Vargas

20140727-160802-58082370.jpgFoto tirada no Sertão do Valongo – SC uma comunidade quilombola

Filha, a sua fé a curou! Vá em paz e fique livre do seu sofrimento. Marcos 5:34

Pode ser que tudo que tenha lhe sobrado seja uma intuição maluca, uma esperança enorme e uma fé impossível. Nada mais lhe restou. Aliás, a única coisa que você têm para dividir é sua aflição.

Talvez isso tenha lhe impedido de ir ao Eterno. Puxa, foram um ou dois passos na direção do Senhor, e você percebeu outras pessoas ao seu redor. Elas pareciam tão alinhadas, limpas, arrumadas e em sintonia com a fé delas…

Quando você notou essas pessoas, sua visão de Deus foi interrompida…você recuou…

Se essa imagem o descreve, note com atenção a pessoa elogiada pelo Cristo por causa de sua fé. Não se tratava de um bom dizimista. Nem mesmo um membro fiel de uma igreja qualquer. Essa pessoa não era um mestre aplaudido. Se tratava de uma mulher envergonhada e pobre — uma mulher que sofria de hemorragia havia doze anos, que percebeu antes de todos que o Cristo poderia curá-la. Ela se prendeu à esperança de que Cristo a atenderia.

Essa não é uma definição errada de fé. A firme idéia de que é capaz de fazer e a esperança de ele atenderá seu clamor.

Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem. Hebreus 11:1

A convicção daquela mulher foi fundamental, e ela se baseava na fé. Minha dica é que você e eu façamos o mesmo. Colocando nossa fé em prática e vendo que em nosso coração seremos mais confiantes na resposta do Eterno às nossas orações.

26
jul

# Perguntas e respostas

Li na rede social um pai testemunhar uma situação familiar, no mínimo emocionante. A filha de dois anos se aproxima dele e mostra uma borboleta em suas mãos. O animalzinho está morto. Quando então, com aquela sensibilidade que só as crianças têm, ela pede ao pai para consertá-la. “Não posso”, ele responde. E pensa: “Como dizer a uma criança que não podemos consertar a morte?”.

De fato, há coisas que são complicadas explicar às crianças. Não porque elas não entendam uma explicação coerente, com palavras simples, mas, sobretudo porque a resposta dos adultos normalmente é fundamentada em conceitos próprios de um mundo limitado, devendo esperar que elas cresçam para que compreendam.

Agora, imagine uma sociedade em que as crianças cresçam conhecendo as escrituras, e até que envelheçam e morram, para tudo que queiram saber sobre a vida, seja a Palavra do Eterno a fonte da meditação que os levem a respostas que o mundo não pode dar.

Certa ocasião, Jesus afirmou que para entrar no reino, seria preciso ter a humildade das crianças (Mateus 18). Hoje, os homens têm pouca ou nenhuma relação com seu Criador. Se tivessem essa humildade, estariam vivenciando experiências reais através das escrituras, onde vida abundante transcende das palavras que a revelam.

A esse propósito, os homens poderiam agir como o fizeram os meninos que presenciaram Jesus curar aos cegos no templo, sendo sua reação, clamarem: “Hosana ao Filho de Davi!

Em que pese, na ocasião, sacerdotes e escribas presentes se indignarem com o clamor dos meninos, você sabe por que elas ousaram fazê-lo? Porque seus pais lhes ensinavam as escrituras, a sociedade vivia seus preceitos, mas, sobremodo porque estes reconheceram as respostas às suas perguntas no filho de Deus, presenciando, assim, o conserto do que estava morto.

É preciso estudar as escrituras, sim, porém muito mais do que isso será o meditar e orar por meio dela, proporcionando a intimidade que leva à compreensão da vivência a partir de sua realidade. Dessa forma, respostas possíveis como – consertar a morte – podem ser dadas às crianças de forma real, apresentando-lhes de que maneira – O Caminho, a Verdade e a Vida – venceu a morte, para que, enfim, saibam que isso aconteceu pelas borboletas, assim como pelos homens.

A paz esteja com todos.

Sadi – Um Peregrino da Palavra

24
jul

As coisas menores

Marco Aurélio Brasil

Quando um teólogo de primeira linha apareceu a Jesus perguntando qual era o maior mandamento, Jesus foi direto ao ponto: amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Logo na sequência vinha outro mandamento quase tão importante: amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas (Mateus 22:34-40).

Toda teologia que fuja disso é a teologia dos acessórios, dos detalhes menos importantes, das coisas menores.

E por mais que as novelas me hajam ensinado que amor é algo que eu não controlo, o ensino do Mestre é: eu te ordeno amar. A Deus, primeiro, depois ao próximo tanto quanto você se ama. Amar se aprende amando, como dizia Carlos Drummond de Andrade. Amar se aprende agindo como se se amasse. Isso requer coração, requer alma e requer entendimento.

Se você está aplicando seu coração, sua alma e seu entendimento em outra coisa qualquer, está aplicando o que tem de mais valioso, você mesmo, nos acessórios, nas coisas desimportantes e menores.

22
jul

Juízes

Marco Aurélio Brasil

Jesus está se aproximando do final do Sermão do Monte e o capítulo 7 de Mateus começa com outro daqueles desafios complicados dEle: “não julgueis para que não sejais julgados. Porque, com o juízo que julgais, sereis julgados, e com a medida com que medis, vos medirão a vós”. O que exatamente significa essa orientação para não julgarmos?

É um ensino que guarda semelhança com I Coríntios 13, quando afirma que o amor “não suspeita mal” (v. 5). Logo depois de falar para não julgarmos, Jesus dá a ilustração do sujeito que repara no cisco no olho do outro sem notar o graveto muito maior no próprio olho, de modo que esse contexto sugere que não devemos julgar os outros porque não estamos em condições de o fazer com justiça. Também temos lacunas e falhas, algumas das quais sequer percebemos. Quem já confrontou sua própria justiça com a de Cristo é constrangido a adotar uma postura humilde em relação aos demais irmãos. Não é porque o pecado do outro é diferente do meu que ele é digno de apedrejamento.

Contudo, se Mateus 7 começa ordenando não julgar, ele praticamente termina nos incitando a o fazer, ao menos em relação a uma certa classe de pessoas: Jesus nos orienta a estar alertas contra os falsos profetas, aqueles cujos frutos (ou seja, as obras) desdizem seu discurso (versos 15 a 23). Ora, então é preciso exercitar algum julgamento das atitudes dos outros, correto? Dos que se apresentam como profetas, ao menos. Dos que querem liderar o rebanho. Dos que se posicionam como guias espirituais. Contra esses é preciso exercitar algum julgamento, o julgamento da coerência entre atos e palavras, sob pena de ser guiado para longe do aprisco do bom pastor que é Jesus.

Alguns esfregariam as mãos acreditando ver nisso a concessão para descer o lenho nos pastores e ministros religiosos, mas em nenhum lugar eu vejo a orientação para descer o lenho em quem quer que seja. Jesus diz “guardai-vos dos falsos profetas”. Protejam-se. Estejam alerta. Defendam-se deles! E, considerando que “vocês são a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a ele. Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz” (I Pedro 2:9), guardar-se dos falsos profetas significa se guardar inclusive do mau sacerdote e arauto dos atos poderosos de Deus que é você mesmo. Julgue a si próprio constantemente. Veja se seus atos estão em harmonia com seu credo, sob pena de estar agindo entre aqueles que você influencia como um lobo devorador.

Assim, não julgue os outros. Mas esteja alerta quando o assunto é a eternidade. Porque com esta vida não se brinca.

21
jul

Mais que um clichê

Adriano Vargas

Nem altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus. Romanos 8:39

Você é especial” talvez essa frase seja a mais usada não só em campanhas publicitárias, mas também em publicações, em músicas, em filmes, em palestras e até nas igrejas.

Queremos entender até onde o amor de Deus suporta. Além dos festivos domingos de Páscoa, ou dias do amigo (ontem nem ganhei presentes, viu..rsrs), sabe aqueles dias que temos os sapatos lustrados e cabelos bem escovados… Precisamos saber não somente quando nos sentimos cheios de confiança e alegria, dispostos a dar conta de problemas como a paz mundial. NÃO…

Nessas horas eu sei como Ele me vê. Até eu mesmo gosto de mim quando estou assim.“, deveria ser nossa certeza.

Nossa necessidade é saber o que o Eterno pensa sobre nós quando atiramos contra qualquer coisa que se mova, quando nossas idéias cheiram a esgoto, no momento em que nossas argumentações estão tão afiadas que seriam capazes de dividir uma rocha ao meio. Como o Cristo se sente a nosso respeito nesses momentos?

Será que algo pode nos separar do amor que o Cristo nutre por nós? O Eterno já havia nos respondido antes mesmo que essa pergunta fosse formulada. Ele clareou os céus pontilhando-o com uma estrela para que pudéssemos ver sua resposta. Deus fez ecoar um coral na escura noite com suas palavras. Tudo para que fossemos capazes de ouvir. Ele fez mais. Fez o que nenhuma pessoa jamais sonhou. Ele tornou-se carne e habitou entre nós. Cristo envolveu seus braços sobre os ombros do mundo só para deixar evidente à toda humanidade o quanto ela é especial para o Eterno.

Se você acha que existe alguma coisa capaz de separá-lo do amor de Deus, apresente a ele em oração. O Cristo entregou sua vida para tornar eu e você pessoas especiais, inseparáveis do Pai.

20140720-113450-41690701.jpg
Foto tirada da infância de meu irmão descobrindo a luz solar

1 2 4