Monthly Archive: fevereiro 2012

29
fev

Amor a Deus = Forca

Gelson de Almeida Jr.

Dias atrás, um jornal televisivo do Brasil apresentou uma reportagem sobre o pastor Youcef Nadarkhani, 34, iraniano condenado ao enforcamento, por ter abandonado o islamismo e se converteu ao cristianismo e querer que seus filhos estudem a Bíblia. Por três vezes teve a opção de negar sua fé em Cristo e retornar ao islamismo, o que determinaria o fim da sentença de morte, mas ele não aceitou. A trajetória de Nadarkhani é muito diferente da vivida pela maioria dos cristãos, que nunca foram sentenciados à morte por seu amor e dedicação a Deus.

A grande verdade é que, infelizmente, muitos que se dizem cristãos, apenas o são por puro conforto ou formalidade. Fico espantado quando pergunto a alguns alunos qual é a religião que professam e vejo que cerca de um terço afirmam não seguir religião nenhuma, ou não ter a menor ideia de qual seja a religião dos pais.

Qual “tipo” de religião você professa? Quem mais, além de você é claro, sabe sobre a sua fé? Não importa onde ou como, temos que ser testemunhas de Cristo (Atos 1:8).

Se, faz tempo que você falou de sua fé a algum amigo ou parente, ou se você tem desperdiçado oportunidades de falar do seu Deus, cuidado, sua saúde espiritual está em perigo. Ser cristão é muito mais que estar disposto a morrer por Cristo, é se dispor a viver por Ele.

28
fev

O inverno está chegando

Marco Aurélio Brasil

Na série de fantasia “Uma canção de gelo e fogo”, de George R. R. Martin, cada estação pode durar vários anos, o que faz do inverno algo especialmente temível. Uma das casas nobres que protagonizam a história tem como lema a lúgubre certeza de que “o inverno está chegando”. As pessoas nascidas no verão são olhadas pelos mais velhos com comiseração, são “crianças do verão”, gente que não conheceu a impiedade do inverno. Ali, portanto, torna-se imprescindível aproveitar bem o verão. É a estação propícia para fortificar as propriedades, estocar alimentos, garantir a subsistência quando a neve chegar.

 

Em Jeremias 8:20 há este triste lamento: “Passou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos.” Deus disse que um dia diria “basta!”, e então pecado e pecadores seriam parte de um passado. Quando isso acontecer, estaremos salvos ou irremediavelmente perdidos. Este momento é antecipado para cada um que encontra a morte e o apelo do Pai é para que aproveitamos o verão. As estações se sucedem, este é um fato da vida, e Ele nos adverte a não brincar com elas. Não se brinca com a vida!

27
fev

# Não Temas!

Querido leitor, em especial nas semanas que iniciam alguns de nós enfrentam batalhas que vão além da intenção de apenas ficarmos em pé, mas, também procurando manter a dignidade tanto pessoal quanto familiar, seja na busca da restauração da saúde, seja mediante algum aspecto financeiro, enfim, diversas são as formas que se apresentam em que somos testados na fé diariamente.

Você já deve ter ouvido falar que a frase – NÃO TEMAS – se encontra em pelo menos 365 passagens na palavra de Deus. Pois bem, se tiver a oportunidade de contá-las, verá que não passam de 120 vezes em que ela se repete. Mas, lhe pergunto agora – uma certeza como esta, dita pela boca de Deus, precisa ser dita mais de uma vez para que você acredite nela? Por certo que não.

Portanto, hoje depois de orar, viva a sua vida certo da vitória. Não temas, Ele disse, pois, Eu estou contigo. Que este seja o recado de Deus para sua semana, para que venha a ter uma experiência real com Deus, e mais, para que o exercício de sua fé e a sua confiança em Deus sejam testemunhos vivos para o mundo.

 Fique na paz do Senhor,  e que os teus dias sejam na companhia de Deus.

Sadi – Um Peregrino na Palavra

25
fev

# O que pode fazer o justo?

No mundo atual, em que a busca pelo poder tomou dimensões agressivas, é natural que vejamos a sobrevivência dos mais fracos ser a cada dia, mais e mais ignorada, em franco desrespeito à Constituição, agonizando pelas esquinas. Tanto os mais fracos, quanto a Constituição. Tanto a legislada por Deus, quanto a pelos homens.

Tivessem os governantes do Estado, do Município e mesmo da nação, moralidade em seus atos, ou ainda um olhar mais humano para a vida dos que estão desfavorecidos, não teríamos exemplos como do que ocorreu a pouco no pinheirinho, onde uma comunidade inteira foi despejada mediante violência, em prol de uma decisão judicial movida por um conhecido corruptor do sistema político e financeiro, devidamente absolvido de suas acusações, é claro, e poderoso o bastante para fazer com que o governo do Estado mais rico do país não movesse um dedo sequer em direção da desapropriação daquela área.

Não bastasse o dia a dia dessa gente estar debaixo de privações humilhantes, muito pela má aplicação do dinheiro público, onde os escândalos por desvios de verbas tanto para infraestrutura quanto as humanitárias têm se tornado a regra, a última do prefeito do município de São Paulo é proibir qualquer manifestação artística e cultural na cidade, seja dos músicos na região do centro ou na charmosa avenida paulista, seja dos malabaristas assim como das estátuas vivas espalhadas pela cidade. De uma hora para a outra aparece a truculência institucional e solicita a licença para aquela apresentação. Como assim?

É a lei, respondem os encastelados governantes deste país. Dura é a lei, mas é a lei. Sim, a lei, mas, quem vai defender a aplicação da mesma quando diz que essa gente tem direito a uma vida digna, garantida pela Constituição Federal, ou que a simples manifestação cultural também está garantida pela mesma fonte? A queda de braço é desproporcional, tanto quanto é imoral a falta de coragem dos governos para enfrentar os homens poderosos que de fato ditam os rumos da nação.

Quando os fundamentos estão sendo destruídos, o que pode fazer o justo? (Salmo 11.3).

 

Shalom!

Sadi – Um Peregrino na Palavra

23
fev

Seja feliz

Marco Aurélio Brasil

O jornalista Salomão Schvartzman apresenta todas as manhãs uma coluna recheada de referências culturais na rádio BandNews, e termina invariavelmente com a frase “seja feliz”. Em uma de suas últimas colunas ele lançava mão de versos de Carlos Drummond de Andrade para incentivar seus ouvintes a entregarem-se ao amor.

 

Disse coisas como “para mim a felicidade só existe quando você acredita nela e reconhecer o amor no primeiro instante” ou “fácil é beijar de olhos fechados, difícil é sentir aquela corrente elétrica que atravessa o corpo todo quando beijamos aquela pessoa”. Terminou assim: “se você encontrar alguém hoje ou amanhã e esse alguém fizer seu coração parar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante de sua vida. Se seus olhares se cruzarem e nesse momento houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa por quem você esteja esperando desde o dia em que nasceu… fique certo que Deus lhe mandou um presente: o amor… ame e seja feliz”.

 

No afã de incentivar seus ouvintes a buscar a felicidade, contudo, Schvartzman pode estar apenas aprofundando o abismo de infelicidade. Ele parte da premissa de que a felicidade depende do amor físico e de que o amor físico é uma questão de química. Ele também reforça o mito popular da alma gêmea, pelo qual existe alguém lá fora com quem você se encaixaria tão perfeitamente que daí brotariam fontes e mais fontes de felicidade genuína.

 

Não admira que o mito da alma gêmea seja tão popular. Ele é muito conveniente. Pensar que todos os meus problemas vão desaparecer se eu tão somente estiver com a pessoa certa, que vai se encaixar à perfeição na minha imperfeição e que eu não vou precisar fazer nada a não ser relaxar e ser amado é muito sedutor.

 

Essa felicidade química, tão harmônica com os postulados evolucionistas, é na verdade uma felicidade muito, muito triste, porque transitória. A química desaparece e força você, para “ser feliz”, procurar outra em outro lugar. Ela também é triste porque nos convence de que amor é uma questão de receber, do que outro pode me dar, e não do contrário, e, como Jesus Cristo exemplificou perfeitamente, o amor duradouro é quando você se preocupa satisfazer o outro. E, por fim, ela é triste porque nos convence de que nossa felicidade está lá fora, nas mãos de alguém.

 

Como dar durabilidade, perenidade, como fazer definitivos e plenamente satisfatórios os meus sentimentos? Há um jeito, e não é como o colunista e o poeta defendem:  “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:7).

 

Quando você percebe que sua felicidade está garantida por Jesus e que independe de qualquer outro fator externo, você sente algo muito melhor do que a química da paixão, você sente uma paz que excede todo entendimento e que o puxa pra cima, o faz querer e poder ser melhor. Aí você atrai o que é eterno para os seus sentimentos e até o amor físico passa a ser muito mais do que paixão. Passa a ser cumplicidade, diálogo profundamente íntimo, confiança.

 

Desconfie das receitas de felicidade que não foram endossadas por Aquele que o criou.

22
fev

Acabou a folia, e voce está alegre?

Gelson de Almeida Jr.

“Quarta feira de cinzas”, dia de reservado ao balanço dos alegres e festivos dias de Carnaval. Para uma imensa massa, principalmente em nosso país, o Carnaval é a festa máxima do ano, onde ocorre a liberação de quase tudo quanto é sentimento e desejo, é o momento onde tudo pode, tudo é válido. Como está seu “coração” agora que tudo acabou? Hoje é dia de se lamentar perdas como da vida, da inocência, da virgindade, do amor, do respeito, da liberdade e do casamento, só para citar algumas. É muita perda para tão pouco tempo.

Vendo imagens da apuração da agremiação campeã do Carnaval em São Paulo, vi cenas lamentáveis de vandalismo, desrespeito, selvageria, etc. Onde estava a tão apregoada paz e, mais ainda, a alegria que todos afirmam existir no Carnaval? A grande verdade é que nunca, jamais poderá haver verdadeira alegria e felicidade longe de Deus, se Deus não for o primeiro e a Sua vontade não for a nossa, a alegria será efêmera, passageira e, em muitos casos, com efeitos devastadores. Há muito que Davi afirmava que na presença do Eterno as alegrias e as delícias são permanentes (Salmo16:11).

É de autoria desconhecida a frase que diz que voce faz as suas escolhas e as suas escolhas fazem voce. Se voce tem coisas a lamentar hoje e, verdadeiramente está arrependido, lembre-se de duas grandes verdades, não importa qual tenha sido o seu erro, Deus o perdoará, mas Ele nunca irá livrá-lo das cicatrizes (consequências). Portanto, olhe para trás, veja onde tem errado, arrependa-se e siga em frente, certo de que se Deus estiver ao seu lado cada novo dia será de alegria verdadeira.

21
fev

Nostalgia da ditadura

Marco Aurélio Brasil

Para minha geração, que foi educada num ambiente em que os formadores de opinião eram os torturados, a ditadura militar é a própria encarnação do mal. Curioso, então, tropeçar de quando em vez em pessoas mais velhas que suspiram com nostalgia pela ditadura. Aquele tempo é que era bom, dizem eles. Havia investimento em infraestrutura no país, os governantes eram mais sérios, etc e tal. Colocados na balança a liberdade de pensamento e expressão e o estado de direito de um lado e, de outro, essas virtudes da ditadura, lhes parece bem melhor o antigo estado de coisas.

 

Os hebreus recém libertos de uma escravidão de quatro gerações também suspiraram com saudades da tirania. Entre a liberdade e a dignidade de um lado e carne com cebola de outro, lhes pareceu bem melhor o antigo estado de coisas.

 

Você conheceu a verdade e ela o libertou da tirania (“conhecerei s a verdade e a verdade vos libertará” João 8:32) e agora você coloca na balança a liberdade genuína contra as delícias da ditadura. Era mais fácil, então. Você não tinha que fazer escolhas morais, bastava se deixar levar pela maré. Você podia engrossar o cordão dos que descem a ladeira no bloco de carnaval. Era só copiar os outros, sem dilemas ou conflitos internos. Fácil. Divertido. Quem disse que a liberdade é tão divertida quanto a ditadura e a escravidão?

 

Jesus Cristo não nos libertou para coisas pequenas. Ele nos chamou a ansiar coisas melhores. Você pode ficar com música, cinema e literatura ruins, mas Ele o chamou para coisas mais altas. Você pode ficar com comida ruim, mas Ele o chamou para desejar algo mais elevado. Você pode ficar com relacionamentos superficiais e destrutivos, mas Ele o chamou para algo muito melhor. A liberdade de Cristo o liberta para poder ansiar coisas mais altas. Pode parecer menos interessante agora a liberdade e a dignidade do que carne com cebola, mas só quem experimenta a liberdade e nela mergulha com volúpia consegue ler a balança do jeito certo e ver que não há comparação justa entre as duas coisas. Por mais que você queira, um oratório de Bach será sempre milhões de vezes melhor que uma marchinha de carnaval.

 

Pare de suspirar com nostalgia da tirania. Jesus Cristo pagou com Seu sangue o preço de você poder querer muito, muito mais!

20
fev

# Resultados da verdade anunciada.

Todas as pessoas com quem tenho convivido ao longo de minha conversão têm um aspecto em comum. Mesmo que estejam passando por dificuldades, ao estarem presentes em um culto de louvor e adoração a Deus isto os faz voltarem para seus lares renovados, cheios de um conforto que só mesmo o Espírito Santo pode proporcionar.

O maior benefício obtido mediante os ensinamentos que recebemos de uma igreja que pregue a verdade é sem dúvida alguma viver uma experiência real com Deus. E cumpre ressaltar que isto se dá efetivamente quando os recebemos e em seguida meditamos sobre eles, fortalecendo-os em nossa mente e em nosso coração através da oração e da prática diária, solidificando assim a revelação para que ela permaneça em nós e nos transforme, sendo um alicerce poderoso mesmo em tempos difíceis. A comunhão com Cristo abre nossa mente para vermos a vida de um modo diferenciado. A restauração que se oportuniza a nossa frente faz com que seja praticamente impossível permanecermos indiferentes a ela.

Ali aprendemos a simplificar aquilo que tomamos por complicado. Aprendemos a lidar com situações que de fato se apresentem difíceis, o que faz com que acabem por perder um pouco da importância que dávamos a elas, para que de pronto possamos encará-las sem medo. Aprendemos a lidar melhor inclusive com vitórias e conquistas, compartilhando-as com generosidade e não apenas as retendo como um troféu que venha a nos encher de vão orgulho.

Enfim, todas as coisas, sejam boas ou ruins, tomam um sentido mais apurado, mais real, mais equilibrado, e com isso o resultado é certamente um crescimento de ordem pessoal e espiritual sem par, além de uma paz que só Deus pode apresentar. Portanto, para esta semana que a partir de hoje lhe pede atenção às coisas do mundo, lembre-se do que ouviu um dia dentro de tua igreja e que o tenha esclarecido a verdade, ou mesmo há poucos dias pela voz de seu pastor que certamente lhe entregou o melhor da parte de Deus, e tome posse dessa palavra, da alegria vivida quando a ouviu, e peça a Deus em um instante de oração para que ela seja o diferencial em sua vida. Siga em frente certo que do teu lado Jesus se faz presente, e que o Espírito Santo lhe guia por toda a verdade que precise saber. Assim, não tenha falta de nada, pois, Deus é contigo e conhece todos os teus pensamentos e as tuas necessidades.

Seja feliz.

Que tua semana seja repleta de vitórias, em nome de Jesus.

Sadi – Um Peregrino na Palavra

1 2